sexta-feira, 5 de março de 2010

ACEITAR A NATUREZA HUMANA - DEVOCIONAL 07/08/10

Irmão Rafael Jácome

        É comum definir o homem como um ser racional, complexo e constituído de alma espiritual e corpo animal ao mesmo tempo. Desde o pecado original, perdido o dom da integridade, acentou-se a dualidade dos elementos constitutivos da natureza humana. Diante da sua complexidade tende a viver apenas a vida animal, desprezando muitas vezes o lado espiritual, e, como num curto-circuito - busca simplificar a vida;
        Freud e seus adeptos afirmam como o recalque dos intintos produz neuroses. Mas hoje em dia aumenta sempre mais, o número de psicoterapeutas que admitem a espiritualidade como elemento constitutivo da natureza humana.
        Para nós cristãos que sabemos que o homem é um ser consciente, livre e responsável, mas temos vistos que esta verdade tão conhecida e básica para nós, hoje tem sido esquecido e ridicularizada. A falta de sentido para a vida tem levado a numerosos casos neuróticos, onde as relações tempos atrás provocavam frustação SEXUAL, hoje causam frustração EXISTENCIAL, ambos sintomas neuróticos da sociedade contemporânea. As pessoas nos dias atuais, alegam problemas de estresses, cansaços, rotinas, ... que causam problemas e/ou traumas psicológicos. Entretanto, a Psicologia moderna e suas descobertas podem oferecer-nos valiosas contribuições para aceitarmos melhor, e sem gastos desnecessários, a finalidade de nossa vida cristã.
        Não adianta buscar na psicoterapia a solução para a insatisfação humana, quando apoiada pela procura do prazer (hedonismo) ou pela procura do poder (princípio do “fazer-se valer” da psicologia individual). Importante: uma alma sequiosa não renegará o espírito. Não pode apenas cuidar das necessidades psico-biológicas – do pão – ou como também, do outro extremo: o espiritualismo ou “angelismo”.

Disse jesus ao demônio: “não tentarás o senhor teu Deus” (mt. 4,7), quando este quis induzir a outra parte da realidade humana: o corpo, suas leis e suas necessidades. E o tentador continua: “ele aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem...” Disse como que ensinando: não és também tu um ser espiritual? Lança-te daqui abaixo. Voarás! Jesus repeliu essa segunda forma de ferir a ordem estabelecida pelo criador;

        Deus criou o corpo e matéria e quer que respeitemos as leis que regem este mundo. O homem tem que respeitar a lei da gravidade: importa aceitar integralmente a realidade da natureza humana; não só nossa espiritualidade, mas também, nosso corpo, nossa biologia e nosso psiquismo. Se não, erramos desde o ponto de partida, não chegando à perfeição, mas, muitas vezes, à colheita de desajustamentos e neuroses,

A PAZ DO SENHOR!                                                                 Rafael Jácome

Nenhum comentário: