sábado, 27 de março de 2010

“DOMINITE” O NOVO VÍCIO DOS TEMPOS MODERNOS

Irmão Rafael Jácome
       Ontem nós fomos visitados por um pastor de Curitiba/PR e ele utilizou da palavra para falar da ausência dos crentes nos templos evangélicos. Sem gritos e com muito teor histórico, ele abordou as experiências dos seus quarenta e quatro anos de vida evangélica. Ressaltou o espírito desbravador daqueles que iam anunciar a Palavra de Deus, sem aparatos tecnológicos, luz a base de candeeiros, a infraestrutura precária e desconfortável e muitos outros elementos característicos daquela época.

        Apesar desta simplicidade de cenário os crentes reuniam-se com muito mais freqüência nos cultos. As pregações eram realizadas por pessoas com poucos estudos e até mesmo analfabetas, mas tornavam-se motivos de grandes louvores ao Senhor. Pessoas eram batizadas no Espírito Santo, as igrejas lotadas e todas glorificando ao Senhor com entusiasmo e emoção verdadeira.

        Hoje este cenário é pouco vivido nas igrejas. Os crentes estão trocando a igreja por suas necessidades pessoais. A universidade absorve todo o seu tempo, o trabalho consume todas as suas energias, as amizades confortam seus estresses, assistir televisão é o maior entretenimento e nos shoppings Centers as maravilhas do lazer. Até mesmo aos Domingos, dia de maior freqüência, as igrejas estão vazias – um verdadeiro caso de “DOMINITE AGUDA”.

        Na Psicologia Social este fenômeno é denominado de LIQUIDACIONALISMO, ou seja, é um vicio comportamental onde as pessoas liquidam (trocam) o seu maior foco (a igreja, a empresa, o trabalho, a família, etc) por seus interesses pessoais, manipulando as ações para que as coisas aconteçam conforme seus próprios objetivos. Porém, não podemos trocar Deus por nada e nem por ninguém!

        É aqui aonde mora o perigo! Trocamos o nosso amor maior a Deus por coisas fúteis. Inserimos em nossas vidas e em nossos lares os candeeiros do HOMEM VELHO, basta ligar a televisão para constatarmos um cenário propício para desestruturar a harmonia na família e aumentar a divisão no seio da sociedade. O mundo não nos dá a oportunidade da comunhão, do amor, da fraternidade, da misericórdia, do perdão, ... Do Reino de Deus.

“QUÃO AMÁVEIS SÃO OS TEUS TABERNÁCULOS, SENHOR DOS EXÉRCITOS! A minha alma suspira e desfalece pelos átrios do SENHOR.” Sl 84

A PAZ DO SENHOR!                                                            Rafael Jácome

Nenhum comentário: