quarta-feira, 31 de março de 2010

O FUTURO É MELHOR DO QUE QUALQUER PASSADO


CONSULTOR: Rafael Jácome

        O grande acelerador de partículas do Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN), na Suíça, iniciou hoje, terça-feira, as colisões entre feixes de prótons, as primeiras criadas pelo homem a uma energia correspondente a 280 milhões de baterias de carro. Segundo cientistas do Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas (LIP), esses feixes irão movimentar-se em sentidos opostos, numa velocidade próxima da luz em vácuo, e que vão colidir no centro de quatro detectores.

        A experiência pode, ainda, lançar pistas para compreender a natureza da matéria, constituindo-se como a única forma de se obterem novas partículas, como aquela que explica a origem da massa, e que nunca antes foi observada, ou a antimatéria. Os impactos no conhecimento da colisão de prótons são "enormes" e os resultados da experiência serão relevantes também para áreas como a tecnologia da supercondutividade, as tecnologias que funcionam na ausência de atmosfera e até nas tecnologias de informação e computação.

        A energia produzida hoje no acelerador de particulas pode acabar com todos os problemas de energia e crises energéticas que existem atualmente. Hoje fez-se história, e cabe ao homem torná-la grande. Poderá assim passar ainda algum tempo antes que os físicos anunciem algo novo. É tudo uma questão de estatística e conforme citam os cientistas: Algumas novas partículas, como o bosão de Higgs, que segundo o modelo teórico explica a massa, mas nunca foi encontrado, são muitas raras e por isso são necessários milhares de milhões de eventos [produzidos nas colisões] para se poderem detectar.

        Nas colisões entre os feixes de prótons a uma nova energia, os físicos recriam os primeiros nanossegundos do universo, logo após o Big Bang, há 13,7 mil milhões de anos. Nesses primeiros instantes, a sua densidade e temperatura eram elevadíssimas e os seus constituintes básicos, as partículas, andavam à solta, movendo-se a grande velocidade. Os físicos procuram respostas para os enigmas que subsistem sobre a estrutura da matéria e a formação do universo.

        As informações indicam que toda esta concentração, exigiu anos de pesquisas e gastos absurdos. Neste projeto foram gastos até agora 10 bilhões de dólares iniciais e mais 40 milhões de dólares somente para reparos de alguns defeitos. Nós não temos dúvidas em relação à resposta da pergunta: Quem criou o Universo? O autor de Hebreus disse: “Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem”. Hebreus 11:3 Não é de agora que homem tenta reproduzir aquilo que Deus já fez.

        Teilhard de Chardin escreveu: “O melhor acaba sempre acontecendo e o futuro é melhor que qualquer passado”, com isto termino dizendo que nunca tive dificuldades em conceber que tenho profunda esperança em um futuro que vai constituindo o universo e a humanidade tal como deve ser. Talvez seja uma visão metafísica, mas minha mente tende na direção do equilíbrio da física e da metafísica, entre ciência e fé e que estas realidades não realizam apenas uma sintese, mas uma unidade.

        Pela graça Deus superabundou de tudo que provém do bem. Ciência e fé cristã é uma só realidade, entretanto, é preciso saber distinguir e delimitar com bastante discernimento seus respectivos campos de ação e isso me dá uma visão mais completa das coisas e dos fatos. DEUS CRIOU OS CÉUS E A TERRA,... Que venham novos BIG BANGS.

DEUS É FIEL!                                                                           Rafael Jácome

Nenhum comentário: