terça-feira, 6 de abril de 2010

MOISÉS DE PATU

Irmão Rafael Jácome


MOISÉS DE PATU

POEMA ÉPICO SOBRE PERSONAGENS E LUGARES REAIS E NÃO.

Ei, Companheiro Alex!

Bom dia, Irmão Fernando!

Acorda, Amigo João!

Desce do beliche, Compadre Júlio,

Enquanto Demis e Rui preparam o nosso café!



Porém, bom dia a todos:



Companheiro,

Irmão,

Amigo,

Compadre...



É hora de acordar:

Nosso desagrado,

Os nossos sonhos nos têm divididos

Aqui nesta Terra,

Onde a realidade pode ser mais bela

Que qualquer sonho,

Onde a vida é: “Arte do Encontro”!



- HISTÓRIA DA SALVAÇÃO –



Abraão

Arrancou suas raízes

De agricultor,

Chamado pela força

De um Deus desconhecido,

Que entrou com violência

Na sua história

Que agora é também

Nossa história.



- PATU –



Escutas como grita

Da terra

O Sangue

E os suores roubados;

Nesta terra verde e amarela

Evangelizada

Com o Crucifixo e com a Espada:



Crucifixo: Deus dos escravos libertados

Espada: Instrumento dos potentes.



De hoje em adiante

Estarás sempre

Com o Crucifixo...

Pegarás um dia a espada?



A chamada é clara

Somente o abandono

Do verbo encanardo

Pode harmonizar

Pode redimir

Pode ser pedra de construção...



Alguém entende!

“O meu lugar

É um novo recomeçar

Da história.

Não se faz violência em vão

Ao corpo da vida!"



- AGORA – (A PROPÓSITO DOS SONHOS)



Amigo:

Não te cansas

Peço-te,

De sonhar o sonho

De Jesus Cristo Libertador:

Os sonhos guiam a história,

Se o sonhador

Sabe guardá-los no Céu

E solidificá-los alimento,

Fraternidade,

Relacionamento.



Recordas onde colocastes

As tuas raízes ali,

No Reino,

Onde também

O teu Patu,

Igual e diferente

De como o conhecestes

Transfigurado

Pelo nosso Libertador

Que já o fermentou para si.



Não deixe

De caminhares

Já que sabes

Que ali, no Reino,

Nunca nada será

Perdido.



E que nenhuma Utopia

Alcance-te.

AMÉM

DEUS É FIEL!                                                     Rafael Jácome

Nenhum comentário: