segunda-feira, 19 de abril de 2010

UM MUNDO CRISTÃO MAIS JUSTO E IGUALITÁRIO

Irmão Rafael Jácome

        Debato bastante com alguns amigos sobre o serviço da Igreja evangélica ao homem e observo que muitos irmãos vivem num contexto de dificuldades financeiras, sociais, culturais, educacionais,... Enfim, encontro muitos dentro do contexto dos excluídos sociais. Um dos aspectos mais forte para a vitória do crente é partir da premissa do “Buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6.33), mas o crente tem não só o direito à vida, à subsistência biológica, mas também a garantia de um trabalho digno, a organizar-se livremente, a ter acesso a educação e à informação em igualdades de oportunidades, a participar das decisões econômicas e políticas.

        Paralelamente a este contexto muitos crentes se distanciam destas realidades ou muitas vezes exercem um enorme esforço no auxílio e na solidariedade, mas só conseguem ações paliativas em curto prazo sem interferir na magnitude das necessidades. Outros tantos costumam cair no paternalismo de ações sociais, mas não se organizam para construir uma sociedade mais justa e igualitária.

        Por outro lado, constato que pequenos grupos que vão surgindo nos setores populares para enfrentar situações de miséria, são retaliados e frequentemente inibidos pelo medo, pela suspeita de ativismo político ou pela repressão da igreja. Na verdade, estes grupos buscam o crescimento de suas comunidades, de suas participações efetivas nas prioridades locais e das melhorias de suas instituições.

        O questionamento básico é: estamos preparados para consolidar o anúncio do evangelho dentro destas mudanças nas estruturas, mentalidade e inserção social dos grupos que se organizam e lutam por uma sociedade mais justa? Entregaremos aos ímpios o direito de transformação dos paradigmas da sociedade?

        A igreja exerce o papel bem definido pelo serviço ao mundo, isto é, aos homens, à comunidade humana. O Evangelho anuncia o Reino de Deus que foi semeado uma vez na terra pela vida, paixão e ressurreição de Jesus Cristo. Ele está próximo e Jesus está voltando, sua graça está sendo abundantemente derramada naqueles que buscam o Senhor e respondem pelos seus atos: “Os cegos vêem, os coxos andam... e a boa nova é anunciada aos pobres... a libertação aos presos...aos oprimidos” (Lc 4.18 e 7.22).

        Os crentes, como discípulos de Jesus, são chamados a esta missão: “Pelo caminho, proclamai que o Reino de Deus se aproxima, curai enfermos... expulsai demônios. De graça o recebestes, daí-o também de graça” (Mt 10.7-8).

        A proposta é servir o povo, em suas necessidades humanas, que confessa a própria fé e dá motivos de esperança, despertando a responsabilidade solidária, com criatividade, organizada e lutando pela superação coletiva.

DEUS É FIEL!                                                             Rafael Jácome

Nenhum comentário: