sexta-feira, 2 de julho de 2010

CAOS, ACIDENTES E VIOLÊNCIA NO SISTEMA DE TRANSPORTES URBANOS

Consultor: Rafael Jácome




      Considerando o poder de mobilidade da sociedade com a facilidade de compra de veículos e o constante aumento da indústria automobilística, tivemos como consequência o crescimento desordenado da frota de automóveis. Tal fato implica em problemas como congestionamentos, poluição ambiental, elevado número de acidentes, consumo exacerbado de energia, ocupação do solo urbano, entre outros.



         O elevado índice de acidentes é fruto desta desorganização e responsável por grandes prejuízos para o país. Apesar da introdução do Novo Código de Trânsito,  no Brasil as ações implementadas para a melhoria da segurança viária e consequente redução dos acidentes de trânsito, não trouxeram grandes resultados, tendo em vista o enorme número de acidentes trágicos em nossas principais cidades.



   As ações das comunidades e dos órgãos públicos quando realizados, nem sempre sãos eficazes, quer por falta de conhecimento das pessoas no tratamento do problema, quer pela ausência de um conjunto de atividades com enfoque global, ou pela falta de um banco de dados atualizado com informações rápidas e confiáveis para a tomada de decisão por parte dos responsáveis pelo sistema de trânsito.



         É preciso conceber um excelente projeto de engenharia de tráfico, com que veículos e pessoas se desloquem de maneira eficiente, segura, com fluidez, comodidade, acessibilidade e mobilidade nas vias. É sabido que a qualidade e o grau de desenvolvimento do transporte e trânsito urbanos reproduzem diretamente uma imagem de qualidade de vida dos moradores das cidades.



           A parte a esta discussão temos outro agravante: o contínuo e crescente número de delitos e assaltos aos usuários e profissionais (motoristas e cobradores) do sistema de transporte urbano, deixando a população amedrontada e apavorada. Tivemos vários casos de violência contra os passageiros e até de morte de motoristas de ônibus. É sobre este problema que farei o foco das minhas propostas, tendo por base as crescentes denúncias de descaso dos órgãos públicos competentes na proteção ao direito de ir e vir do cidadão, com garantia de sua segurança.



            Participei de pelos menos três momentos de debates sobre o tema. O último foi numa Audiência Pública na Câmara dos Vereadores de Natal, com a participação de diversos setores da sociedade, sindicato da categoria – SINTRO, sindicato patronal – SETURN, representantes públicos, Comandante da Polícia Militar do Estado, Ministério Público, ... Enfim, um grande momento para discutir o assunto e encontrar soluções que possam, pelo menos, minimizar os acidentes, o banditismo e as agressões aos populares e profissionais.



        Na minha participação ressaltei os seguintes eixos temáticos:



1. Implantação social dos sistemas de segurança;



2. O financiamento da segurança pública;



3. A repressão qualificada ao crime;



4. O policiamento preventivo;



5. O trabalho de defesa civil; e



6. Valorização do profissional na área de segurança.



                                                                                        Foi dado o recado! Somente agindo nas causas dos problemas e com a conscientização das autoridades locais da necessidade e do compromisso com a segurança pública, teremos ações integradas no combate ao crime e a organização  viária do sistema de transporte urbano de Natal.



DEUS É FIEL!                                Rafael Jácome


Nenhum comentário: