domingo, 30 de dezembro de 2012

De Malaquias (AT) a Mateus (NT): Os Selêucidas

Fonte: Comentário Bíblico Moody

A Judéia Sob os Selêucidas

      Depois de cerca de um século, tempo em que os judeus ficaram sujeitos aos Ptolomeus, Antíoco III (o Grande) da Síria arrancou a Síria e a Palestina do controle egípcio (198 A.C.). Os governadores sírios são conhecidos como Selêucidas por causa do fato de que o seu reino, construído sobre as ruínas do império de Alexandre, fora fundado por Malaquias Seleucus I (Nicator). Grande parte dos governadores anteriores tinham os nomes de Seleucus ou Antíoco. A sede do governo era em Antioquia sobre o rio Orontes. Durante os primeiros anos do governo sírio, os Selêucidas permitiram ao sumo sacerdote que continuasse governando os judeus de acordo com a sua lei. Contudo, houve luta entre o partido helenista e os judeus ortodoxos. Antíoco IV (Epifânio) aliou-se ao grupo helenizante e indicou para o sacerdócio um homem que mudara o seu nome de Josué para Jasom e que incentivava o culto ao Hércules de Tiro. Jasom foi derrubado dois anos depois por   outro  
helenista, um rebelde chamado Menaém (gr., Menelaus). Quando os partidários de Jasom contenderam com os de Manelaus, Antíoco marchou sobre Jerusalém, despojou o Templo e matou muitos judeus (170 A.C.). As liberdades civis e religiosas foram suspensas, os sacrifícios diários proibidos e um altar a Júpiter foi levantado sobre o antigo altar dos holocaustos. Cópias das Escrituras foram queimadas e os judeus foram forçados a comer carne de porco contrariando a sua lei. Uma porca foi oferecida sobre o altar dos holocaustos em desprezo à consciência religiosa judia.
                                               



 
 

Nenhum comentário: