terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Jesus a Eterna Salvação

Por Rafael Jácome


       Escrever sobre a Salvação não é fácil, principalmente para os meus amados leitores. Entretanto, em poucas linhas tenho na minha vivência evangélica, que é ela o propósito da Trindade de resgatar a humanidade perdida. Em algumas pregações afirmo que em um dado momento histórico, ocorreu uma “reunião” com a presença de Deus Pai, Filho e o Espírito Santo, para traçar os caminhos da humanidade, o que chamo de “Processo da reunião da Trindade” e foi então introduzida a Graça.

       Salvação não depende de religião, não tem placa de igrejas e nem tampouco é medida por “olhos humanos”, mas é o relacionamento real (Jo 15. 1-8) e vital com o Senhor Jesus. Deus nos fez seus filhos para sermos participantes da Salvação e nos concedeu o perdão dos pecados. Para isto, nos encheu de paz, convicção e consolo e nos retirou da miséria, do vazio e da incerteza. Para completar sua Obra, nos deu júbilo, amor e esperança, conforme está escrito em Isaías 12.2: “Eis que Deus é a minha salvação; eu confiarei e não temerei porque o Senhor Jeová é a minha força e o meu cântico e se tornou a minha salvação.”

O Processo da Salvação

       Quando da queda da humanidade representada por Adão e Eva, ocorreu a desobediência a Palavra de Deus e foi instaurado o pecado. Com a intervenção da Trindade, o homem foi resgatado da dimensão terrestre para a celestial, pois a Salvação hoje é o que nos faz em Cristo, novas criaturas conforme está escrito no evangelho de João 3.5-6.

        Por mais que o mundo nos aborreça, estamos de passagem, pois como afirmamos antes, fomos resgatados da prisão do pecado (2Co 5.17), disto podemos concluir: Ou estamos com Cristo ou estamos sem Cristo.
DEUS É FIEL!

        Na unidade da Trindade, é o Espírito Santo o mantenedor da Salvação e quem convence das realidades espirituais (Jo 16. 8-11); é quem habita no crente (Jo 14. 16-17); é o Consolador (Rm 8. 15-16) e quem promove crescimento e fortalecimento espiritual (Cl 5.22-23).
 

Nenhum comentário: