terça-feira, 19 de março de 2013

O Templo e o Projeto de Vida e Liberdade de Deus

Por Rafael Jácome
 
    
     No Antigo Testamento Deus deixa um grande legado a humanidade: o Templo. O povo de Israel teve sua organização civil e militar durante o reinado de Davi, foi ele também o organizador do culto israelita, deixou inclusive o material e o projeto para a construção do Templo.  O que o fez, para muitos escritores, como rei ideal. Entretanto, segundo os estudiosos, foi o rei Salomão o responsável pela organização administrativa e militar. A glória de Salomão encontrada, por exemplo, no Segundo Livro das Crônicas, é uma forma de ressaltar a glória de Javé e é Ele que a partir do governo de Salomão, passa a habitar no Templo em meio a seu povo.
 
     Organização politica e organização religiosa, eis a importância do reinado de Davi. Aqui cabe um comentário: em nenhum momento deve-se deixar a política ocupar o lugar de Deus, assim como, a riqueza. Não tem espaço para os dois: ou se ama a Deus sobre todas as coisas, ou é mentira. Existe uma corrente religiosa no cristianismo e nas religiões em geral, que o explendor de Deus, por exemplo, manifesta-se em construções de enormes templos. A questão não é construir templos riquíssimos para Deus, mas de promover a liberdade e a vida do povo. Este sim,  é o projeto de Deus.
 
     Outro fator primordial para que possamos entender este texto, foi o contexto histórico dos levitas. Foram eles que antes do exílio na Babilônia, eram os responsáveis pela condução da fé no Deus e proclamavam as consequências dessa fé. Durante o período pós exílio, eles são reabsorvidos no contexto do culto como auxiliares dos sacerdotes para questões materiais ligadas ao Templo. Na Bíblia encontramos trechos citando atritos entre eles (1Rs 2.26-27). Mas, superando todas as coisas, a estrutura organizacional do Templo foi sendo formalizada, contando com a presença dos cantores e o Saltério adquire a sua importância como livro de cantos do Templo e como parte integrante da Palavra de Deus. Surgiram os guardas para o controle e orientação, que era o papel dos porteiros. (Sl 15)
 
     De qualquer forma, no  período pós exílio, o Templo é o centro da vida da comunidade sendo então dirigido pelos sacerdotes e não pela dinastia de Davi. Passa a ser a grande herança projetada por Deus e preparada por Davi. É a manutenção da tradição viva e a identidade do povo de Israel, reunido em torno de Javé, cujo projeto é liberdade e vida para todos.

 

Nenhum comentário: