domingo, 14 de abril de 2013

Fujam da Imoralidade Sexual

Por Jaime Kemp

“O nosso corpo não existe para praticar a imoralidade, mas para servir o Senhor; e o Senhor cuida do nosso corpo.”

     Uma das épocas mais difíceis de se controlarem os impulsos sexuais é a transição da puberdade para a vida adulta. É como efetuar a troca de um carro básico por uma Ferrari, com a ordem expressa de não se ultrapassarem os sessenta quilômetros por hora até o casamento. Quando o assunto é sexo, a curiosidade do adolescente está em alta rotação, na quinta marcha. O adolescente se torna apto para a vida sexual e, é claro, ele quer experimentar de tudo!
     A mídia não ajuda muito, aliás, não ajuda nada. O sexo é divulgado em filmes, novelas, livros, cartazes e até comerciais. As campanhas do governo de prevenção a doenças sexualmente transmissíveis mostram pais entregando preservativos aos seus filhos, como se “transar” fosse motivo de orgulho, mesmo quando acontece prematuramente. Muitas pessoas chegam a questionar se a lei de Deus ainda vale nos dias de hoje.
 “Fujam da imoralidade sexual!” é o conselho do apóstolo Paulo. Você pode fazer tudo o que quiser, “mas nem tudo é bom para você”. Controlar os impulsos sexuais é dominar o próprio corpo e não pecar contra ele. O apóstolo diz que “a pessoa que comete imoralidade sexual peca contra o seu próprio corpo” Os pais têm um papel primordial na orientação sexual dos seus filhos. Um diálogo aberto, claro e honesto, uma orientação espiritual correta, além de apoio e amizade farão com que o adolescente sinta segurança para expor suas dúvidas e firmar suas opiniões. O diálogo aberto com os pais servirá de diretriz quando surgirem as tentações. O apóstolo Paulo chama nossa atenção para algo muito importante: tudo o que temos é de Deus, inclusive o nosso corpo. O nosso corpo é o templo do Espírito Santo. Jesus pagou um alto preço por nós. Somos dele. Por isso, recomenda o apóstolo, “usem o seu corpo para a glória dele”

Nenhum comentário: