domingo, 14 de abril de 2013

UMA HISTÓRIA DE AMOR

Por James Kemps

“O seu rosto é lindo no meio de duas tranças; como é formoso o seu pescoço enfeitado de colares.” (Cântico 1.10)

    O Livro de Cânticos dos Cânticos apresenta o belo romance entre o rei Salomão e sua esposa. Ao contrário do que muitos pensam, o amor entre um casal cristão também envolve sensualidade, paixão, intimidade e prazer. O relacionamento sexual também foi criado para o prazer do casal. O livro nos mostra o desenvolvimento da intimidade de dois jovens apaixonados. No capítulo 1, o rei Salomão descreve o rosto e os olhos da sua amada. Ele elogia sua beleza, e ela retribui da mesma forma: “Como você é belo, meu querido! Como é encantador!” (Cântico 1.16)
 A intimidade do casal se desenvolve de forma gradual. Nos tempos de namoro, os elogios são feitos à aparência e personalidade. Depois do casamento, a intimidade se torna mais profunda e significativa. E para que essa intimidade cresça, são necessários tempo, investimento, comunicação e sinceridade. Os casais que desfrutam de um relacionamento de profunda intimidade atingem também uma cumplicidade física, emocional e mental intensa, condição que se torna especialmente importante nos dias tensos da atualidade. A intimidade é requisito fundamental para a felicidade no casamento.
 Nem tudo o que é bom é pecado, como dizem por aí. No casamento, o casal pode usufruir de sua sexualidade com liberdade, sem culpa e livre de repressões. Pode desfrutar uma intimidade plena, sob a bênção de Deus.
 

Nenhum comentário: