quinta-feira, 9 de maio de 2013

A perseguição aos primeiros cristaos

Por Rafael Jácome


Tenho explorado neste meu espaço do blog um pouco da história do cristianismo. Desde o início e após a chegada a capital do império romano, os cristãos foram perseguidos por seus imperadores. Entretanto, um dos principais monumentos histórico da época que mais marcou na vida dos cristãos foi o Coliseu de Roma, palco de cenas terríveis e de mortes horríveis daqueles que confessavam a fé cristã. Sobre este momento histórico temos vários estudos e depoimentos, entretanto, quero destacar o o texto do cardeal Wiseman, que em seu prefácio a Fabíola, escreveu o seguinte:
"Se um cristão moderno desejasse realmente saber o que os seus ante­passados sofreram pela fé durante os três séculos de perseguição, não o poderíamos satisfazer com uma visita às catacumbas, como temos nos empenhado em fazer, a fim de que conhecesse a espécie de vida que eles foram compelidos a viver. Aconselhá-lo-íamos, contudo, a ler aqueles registros imperecíveis, Acts of the Martyrs, que lhe mostrariam como eles foram mortos. Não conhecemos, depois da inspirada Palavra de Deus, um escrito tão comovente, tão terno, tão consolador, e que ministre tanta força à fé e à esperança, como este venerável monumento. E se o nosso leitor, assim aconselhado, não dispusesse de muito tempo para ler sobre o assunto, limitá-lo-íamos prontamente a um único exemplar - o genuíno Acts of SS. Perpetua e Felicitas. É verdade que ele seria melhor lido pelo erudito em sua clara latinidade africana, mas acreditamos que alguém logo nos dará uma valiosa versão inglesa desta obra, e de outros documentos dos cristãos primitivos, similares a este.... Quando a nossa mente está triste, ou a insignificante perseguição de nossa época inclina à murmuração o nosso coração fraco, não podemos fazer nada melhor que nos voltar a essas histórias auríferas e verdadeiras, a fim de nos encorajarmos pela contem­plação do que crianças e mulheres, catecúmenos e escravos, sofreram por Cristo, sem murmuração".

Nenhum comentário: