sábado, 18 de maio de 2013

O que o cristianismo faz hoje pelas pessoas?

Por Rafael Jácome
Fonte: Extraído do Livro Modelo Social do AT



Podemos até não saber o que significa discipular uma nação, mas, com certeza, sabemos o que isso não significa. Quando olhamos hoje para Dallas, ou para o Texas, Malaui, ou Ruanda, ou qualquer outra comunidade ou país evangelizado, teríamos coragem de dizer que e assim que fica o nosso trabalho depois de concluído? E essa a vontade de Deus realizada "assim na Terra como no Céu"? Com certeza, não!

Se nós queremos glorificar o Pai em nossa geração, devemos saber qual é o nosso trabalho, e cumpri-lo. Temos alcançado os não-alcançados, porém, essas pessoas, comunidades e nações alcançadas estão vivendo em condições inadmissíveis. O Dr. George Kinoti, do Quênia, diz:
" — A miséria do povo africano desonra o seu Criador. Portanto, cada cristão tem obrigação moral de fazer o seu melhor para consertar a situação."2

Não é o suficiente alcançar os não-alcançados. Não é o suficiente implantar igrejas nos lugares onde não há igrejas. Nós temos de discipular as pessoas e, por intermédio delas, discipular suas comunidades e suas nações. Se não fizermos isso, não estaremos cumprindo com o propósito para o qual fomos criados. E ainda, se não discipularmos as nações, Deus não estará sendo glorificado em nossa geração. Ele é glorificado quando nós concluímos o trabalho que Ele deixou para nós fazermos. Salvar almas e implantar igrejas é o começo. Porém, a qualidade dessas igrejas e o impacto da vida dos seus membros em suas comunidades é o teste da qualidade de nosso trabalho para Jesus. Nesse momento, estamos mal no teste. O pesquisador cristão George Barna diz que, nos Estados Unidos, não existe "diferença significativa" entre o comportamento das pessoas que se dizem "nascidas de novo" e as que não. Evangelistas muçulmanos na África perguntam: "o que o Cristianismo faz pelas pessoas?". A resposta, hoje, é: nada. Nada muda. As igrejas crescem e mais pessoas são salvas. No entanto, nada muda. Eles ainda continuam pobres, enfermos, analfabetos e vivendo em meio ao caos político e econômico.

Devemos nos entristecer, chorar e lamentar por essa situação na Igreja dos dias de hoje, assim como Neemias lamentou sobre a situação de Jerusalém3. Precisamos jejuar e orar, porque corpo de Cristo e nossas comunidades no mundo todo estão em "grande aflição e desgraça." Precisamos reagir e aprender a pensar como Jesus. Temos de ser tudo o que Ele sempre teve a intenção de que a Igreja fosse.
A pergunta é: "Como?"



Modelo Social do Antigo Testamento - Redescobrindo princípios de Deus

para discipular as Nações -  
Landa Cope

Nenhum comentário: