sábado, 18 de maio de 2013

Os milagres de Deus estão longe da mídia

Por Rafael Jácome



  Conversando com um amigo sobre as matérias dos jornais e da mídia em geral é comum percebermos a exploração de tudo que tende ao mal. Aliás, noticiar maldade é natural. Mas, o grande problema é que a maldade é sempre destacada. A mídia não fala dos milagres, do bem, fala das maldades.

  Imaginem se a cena do crime de Caim fosse aos dias atuais. Deus com certeza iria tomar as páginas dos jornais e Caim teria que explicar o motivo do mesmo. - Por que você matou seu irmão? Era a primeira pergunta que um Datena ou outro apresentador iria fazer.
- Por motivos religiosos, existenciais.  - Responderia Caim. E assim por adiante. Mas, a verdade é que desde os nossos primeiros pais, eles decidiram romper a Lei de Deus e cometeram um crime. Fizeram a escolha entre o bem e o mal, pois eram livres para decidir de dizer sim ou não. No livre arbítrio da escolha de tudo poder fazer, surgiu à injustiça social, a opressão, a corrupção, a criminalidade.

    Mas, o que a mídia tem de saber é que o próprio Deus, em sua misericórdia, doou-nos a bondade, pois ela não é intrínseca das pessoas. Isto significa que perdemos a unidade humana, mas não a capacidade do relacionamento; perdemos a relação da igualdade, mas ainda formamos famílias; perdemos a comunhão com Deus, mas não a esperança. Este foi um presente de Deus, ou seja, Ele não só nos manteve existindo como decidiu nos dar qualidade de vida.

    Toda a bondade e todo dom perfeito vem de Deus. Ele é a fonte de todo o bem: “Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança.” (Ti 1.17)
     E não é só isto: se pela ofensa de um e por meio de um só, reinou a morte e por sua desobediência muitos se tornaram pecadores, Deus nos amou de tal maneira que enviou o seu filho Jesus Cristo, onde através de sua obediência muitos se tornarão justos, “a fim de que, como o pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor.” (Rm 5.21)
  Portanto, meus caros amigos e irmãos, entre nós pecadores e o Deus Santo, tem um mediador: Jesus Cristo. Nosso advogado que através do seu próprio sacrifício resgatou e mantém o projeto de Deus para a humanidade.
QUE A PAZ DE DEUS REINE EM NOSSAS FAMÍLIAS E LARES.

Nenhum comentário: