sábado, 18 de maio de 2013

Tirar a vida do próximo virou banalidade

Por Rafael Jácome

      Tornou-se um fato banal tirar a vida de uma outra pessoa. É comum escutar nos noticiários que assaltos, discussões de trânsito, brigas entre amigos, familiares, devedores, casais, bebedeiras  ... Enfim, sempre acabam em mortes. Não quero neste artigo falar sobre as questões sociais e tal, porém, quero ressaltar que desde que Caim matou Abel por este ser justo (cf. 1 Jo 3.12), Satanás tem, em todo o tempo, usado como arma a violência: perseguições, prisões e mortes. Qual é então a posição do cristão?  Nós temos o exemplo de Jesus, que deu sua vida por toda a humanidade. Então, é esta a arma do crente: amar a todos sem acepção de  pessoas e mesmo diante das perseguições do mundo, o nosso testemunho maior é, se necessário for, dar a vida pelo próximo. É este o processo inverso da maldade daqueles que são usados pelo Satanás.  Sobre tudo isso disse Jesus: “Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida” (cf. Ap 2.10).

Nenhum comentário: