domingo, 9 de junho de 2013

GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NO SETOR DE CERÂMICA

Consultor Rafael Jacome


        Na indústria de cerâmica vermelha é deficiente a estrutura organizacional de gestão da segurança e saúde no trabalho. Aquelas que possuem um forte quadro de funcionários, geralmente contratam um técnico em segurança no trabalho e convidam estagiários para completar as jornadas de trabalho.
      O objetivo da Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho (SST) é permitir a uma organização controlar seus riscos de acidentes e doenças ocupacionais e melhorar seu desempenho. Estabelece um sistema visando atingir melhorias no desempenho global da segurança e saúde no trabalho, identificando fonte ou situação com potencial para provocar danos em termos de lesão, doença, dano à propriedade, dano ao meio ambiente do local de trabalho, ou uma combinação destes.

        A realidade no setor é contextualizada pela ineficiência e fragilidade de estabelecimentos e procedimentos para a identificação contínua de perigos, na avaliação de riscos e a implementação das medidas de controle necessárias. A ausência de atividades de rotina e não-rotineiras sem com medidas de prevenção, indefinição das funções, responsabilidades e autoridade do pessoal que gerencia, desempenha e verifica quais efeitos tem os riscos nas atividades.

         Por fim as instalações e o processo da organização não são claramente definidos, documentadas e comunicadas, assim como, as ações de todo o pessoal que tem acesso aos locais de trabalho (incluindo contratados e visitantes). O somatório dessas deficiências contribui para o crescimento do índice de acidentes de trabalho, nas indústrias de cerâmicas visitadas e naquelas por mim pesquisadas.


DEUS É FIEL!                                  Rafael Jácome

Nenhum comentário: