segunda-feira, 31 de maio de 2010

LA FENÊTRE (1)

Irmão Rafael Jácome



La vieille fenêtre


S’onore sur l’horizon


Du noir opais de la campagna


On ne voit pas la lune


Mais les lumières de la ville.






Sur le fond de la colline


Se détache um vieu châteur


Et un chien noir erre


Sur la route abandonée.






Le silence... C’est impressionant!


Qui’il est laid a mélange de sons


Le chant des cigales avec le western


De la fenêtre d’à côte.






Le chat blanc


Qui sort sur le vieil escalier


Se detache sur le noir de la nuit.


Le vent siffle... Bah! Que c’est horrible!


“Tout est triste ce soir!” Grince la fenêtre.






Tandis qu’elle se referme de la peur Du monde.






DEUS É FIEL!                     Rafael Jácome

LA LUNE

Irmão Rafael Jácome




La lune est grande.


Apparve comme um enchantement.


Elle est grande.






La lune brille.


Elle est ronde comme mon coeur.


Ah! Comme elle brille, est belle!


Comme mon Coeur, tourne, tourne, tourne, par amour.






La lune est affectueuse


Elle remplit le ciel de tendresse


Elle est belle, grande, pleine, et radieuse


Que c’est beau de te voir tante joyeuse!






DEUS É FIEL!                     Rafael Jácome

UNIDADE ENTRE CORPO E ESPÍRITO ( OU ALMA)

Irmão Rafael Jácome


        Estava sentado contemplando a lua cheia, diante de um espetáculo da região toscana na Itália. O cenário era composto das plantações de uvas, as colinas, as luzes das cidades circunvizinhas, o reflexo sob o rio Arno e os fortes ventos frios, característicos daquela região. Ali o local foi palco de grandes colóquios. Lembro-me de muitos, porém quero citar um momento especial que tive com o professor Patrick, um digno francês e grande mestre em teologia.

        Comecei a falar sobre a questão da unidade do homem em relação ao corpo e espírito ou alma, vivendo e agindo conjuntamente em vista da “perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo” (Ef 4.13). Desde a criação de Adão quando Deus “soprou em suas narinas o fôlego de vida, e o homem se tornou um ser vivente” (Gn. 2:7), ficou evidente a necessidade que devemos crescer em santidade e amor por Deus em cada aspecto de nossa vida, em nosso corpo assim como em nosso espírito ou alma (1Co 7.34), isto é, totalmente doado as coisas do Senhor e com sua Palavra.

        Apesar dessa unidade alguns teólogos defendem a distinção entre espírito e alma. Na Bíblia não encontramos definições claras sobre tal distinção, entretanto, é comum observar que na literatura bíblica o uso dessas palavras é um exemplo evidente do paralelismo hebraico, um recurso poético no qual muitas vezes a mesma idéia é repetida usando palavras sinônimas, mas diferentes. Os tricotomistas, por exemplo, defendem que o nosso espírito é estreitamente relacionado com Deus na adoração e na oração, enquanto que a alma inclui os elementos do intelecto (pensamentos), as emoções (sentimentos) e a vontade (decisões), mas como citamos anteriormente, não encontramos argumentos evidentes na Escritura que confirmem a tese dos mesmos.

        O professor Patrick sempre defendeu que as atividades de uma podem ser as atividades da outra. Nosso espírito também pode experimentar emoções. Temos o exemplo disso em Paulo, quando “o seu espírito se revoltava” (Atos 17.16), ou quando Jesus “perturbou-se em espírito” (João 13.21). Assim como as funções de conhecer, perceber e pensar também podem ser executados por nosso espírito.

        Encontramos na Bíblia diversos trechos relacionados com a alma adorando a Deus: “A Ti, Senhor, elevo a minha alma” (Salmo 25.1). “Minha alma engrandece ao Senhor” (Lucas 1.46). Essas passagens, assim como outras, indicam que a alma pode adorar a Deus, louvá-lo e render-lhe graças.

        Ele sempre usava a terminologia do TANTO: Na literatura bíblica é evidente perceber que tanto a alma como o espírito são termos usados para descrever o lado imaterial das pessoas em geral, e é difícil ver qualquer real distinção no uso desses termos.

        Em suma, finalizava sempre ressaltando: Nessa UNIDADE nos “tornamos um”, criados em Cristo e feituras do projeto divino de Deus para a humanidade, no complexo de harmonia, simetria e ordem – Somos o poema de Deus , sua obra de arte.

DEUS É FIEL!                                 Rafael Jácome

sexta-feira, 28 de maio de 2010

RENOVADOS ATÉ A ETERNIDADE

Irmão Rafael Jácome

“Mas a misericórdia do Senhor é desde a eternidade e até a eternidade sobre aqueles que o temem, e a sua justiça, sobre os filhos dos filhos.” (Sl 103.17)

“Vinde, e tornemos para o Senhor, porque ele nos despedaçou e nos sarará; fez a ferida, e a ligará.” (Os 6.1)

“Sabendo isto, que o nosso velho homem foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado como escrava.” (Rm 6.6)

DEUS É FIEL!                 Rafael Jácome

ABRA A PORTA PARA A RIQUEZA DO AMOR DE DEUS.

Irmão Rafael Jácome


        Muitas vezes nos encontramos desolados como se nada fosse possível resolver os nossos problemas. Tornamos-nos escravos do momento. Às vezes deixamos levar pelos sentimentos que nos vem em mente e mesmo que tentemos mudá-los, não conseguimos livrar um só instante da dor, do medo, da opressão e das injustiças. Quantas vezes nos revoltamos com todos, querendo culpá-los por tudo. Chegamos muitas vezes a afirmar: “Estou sofrendo por sua culpa”.

        Ficamos presos ao nosso mundo, vendo as falhas dos outros e fechamos o nosso coração, sem deixar que Deus e o próximo entrem no nosso Templo e nos ajudem a chegar ao amor. Nesse instante tudo tem lugar: o ódio, a vergonha, a miséria, a injustiça, o medo, a traição,... Tudo que nos escraviza. A tristeza com seu poder toma conta dos nossos atos: sentimos infelizes, incapacitados e medrosos.

“E os discípulos vendo-o caminhar sobre o mar, assustaram-se, dizendo: É um fantasma. E gritaram, com medo.” (Mt 14.26)

        A cada momento de fraqueza humana da nossa parte, vem esse sentimento de angústia. Mas tudo o que queremos é ser felizes, então por que acontecem essas coisas? “Eu acredito em mim, no meu potencial, na minha juventude, mas por que esse tédio?” Mesmo assim não acreditamos e quando olhamos no espelho, estamos presos dentro do nosso próprio templo humano, vazios. Podemos ter atingido o melhor posto no trabalho, no entanto, a mesma angústia, ou seja, percebe-se que o sucesso, o poder e o dinheiro não trazem a felicidade.

        Para dificultar ainda mais, a televisão e os grandes jornais e revistas invadem o nosso mundo, descrevendo o sentimento de muita gente, aparentemente bem sucedida, mas que, no entanto, sabemos que apesar do sucesso, caem por terra sem ideal e amor. Conhecemos pessoas ricas, mas infelizes na família, na saúde e no amor.

“Mais digno de ser escolhido é o bom nome do que as muitas riquezas; e a graça é melhor do que a riqueza e o ouro”. (Pv 22.1)

“A coroa dos sábios é a sua riqueza, a estultícia dos tolos é só estultícia.” (Pv 14.24)

        Nós humanos somos os únicos seres vivos que podem refletir sobre a forma de viver. Os animais apenas vivem nesse mundo, no entanto, o homem ao contrário rompe essa adesão de “estar no mundo”. Ele é capaz de transformar, decidir, criar, recriar e perdoar, mudando o rumo da sua história.

        Mas quando nos sentimos incapazes é melhor entregar tudo a DEUS. Pois disse Jesus: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.”(Jo 14.6) Ele opera o milagre em nossas vidas.

DEUS É FIEL!                         Rafael Jácome

quarta-feira, 26 de maio de 2010

A INTERVENÇÃO EXTRAORDINÁRIA DE DEUS

Irmão Rafael Jácome


        Essa é para você meu amigo, irmão, companheiro, colega: Quando não acreditamos mais em nossas forças, quando não temos mais esperanças na vitória e tudo está desmoronando, NÃO NOS DESESPEREMOS! Quando em várias situações não temos em quem confiar e a sensação é de que tudo está ACABADO, CALMA, meu irmão.

        Vou lhe dá uma oportunidade para raciocinar: Eliseu chegou às margens do Jordão e perguntou: “Onde está o Senhor, Deus de Elias?”. Eliseu perdeu Elias, mas não o Deus de Elias. Nosso Deus não é apenas o que agiu no passado, Ele não é apenas o Deus de Elias, mas, também, é o que age agora. Não é difícil crer que Deus fez milagres ontem nem é difícil crer que Ele fará milagres amanhã. O fato é crermos que Deus faz milagres hoje.

         O Deus de Elias responde orações agora. Ele abre o Jordão agora. Ele é o mesmo Deus que fechou e abriu as janelas do céu. Ele é o mesmo Deus que nos sustenta no deserto. Ele é o mesmo Deus que multiplica o azeite da viúva. Ele é o mesmo Deus que manda fogo do céu. Ele é o mesmo Deus que nos tira da caverna da depressão.

         Em suma, quando não enxergamos nada em nossas vidas e nos encontramos frágeis, inconsistentes fadigados e incapazes basta CRÊR que é o ambiente propício para Deus operar o milagre em nossas vidas. Deus operando é VITÓRIA certa, é libertação, é salvação e AMOR.

DEUS É FIEL!                       Rafael Jácome

O SOFRIMENTO HUMANO

Irmão Rafael Jácome

 
        Muitas vezes nos encontramos em situações difíceis, marcados por momentos de verdadeiros sofrimentos. Adversidades, incompreensões, discórdias, lutas internas, decepções, entre outras coisas nos dão um bom recheio para esses conflitos existenciais tão peculiares ao homem. Interessante que existem pessoas que defendem que o sofrimento é um “problema do mal”, fruto da conduta corruptível do ser humano.

        Encontramos na bíblia dois contextos detalhados sobre o sofrimento: no Antigo Testamento é apresentado como uma punição do pecado, das desgraças e das culpas da humanidade; no Novo Testamento encontramos na pessoa de Jesus Cristo a correção, o complemento e a transformação do significado do sofrimento.

        Cristo sofre pelos pecados dos homens e doa a salvação. O sofrimento é contextualizado como amor do Pai e o castigo é substituído pela ação redentora para o mundo, já que toda dor humana é destinada, no plano divino, a unir-se ao sacrifício redentor.

DEUS É FIEL!                  Rafael Jácome

terça-feira, 25 de maio de 2010

A JUVENTUDE BRASILEIRA – COMPARANDO AS GERAÇÕES

Consultor: Rafael Jácome


        Com base na pesquisa realizada na 1 Conferência Nacional de Políticas Públicas para a Juventude em abril de 2008, constatamos em suas respostas que não é verídico o que afirmam as correntes que sugerem apoliticismo dos jovens, desencantos em relação à política e adjetivação como “nova forma de fazer política dos jovens” um suposto afastamento dos partidos políticos – alguns sim, mas nem todos – além de orientação individualista que os afastaria de causas coletivas e extrema despreocupação com a coisa pública.

        São os próprios jovens que discordam como a mídia, a imprensa em geral os classificam como uma “geração que não participa” do momento político. Afirmam que a realidade da juventude contemporânea é diferente das décadas de 70, 80 e 90. Hoje existe uma geração de jovens com nível de participação muito maior e não restrita a militância em partidos, em melhoria salarial, na fábrica ou a militância estudantil. Os jovens hoje enfrentam uma luta mais específica, nas conquistas das interpretações que o mundo exige e demanda uma organização de juventude dinâmica, atenta ao desenvolvimento tecnológico, social, econômico e ambiental.

        Analisando o contexto histórico das gerações passadas, os jovens contemporâneos são unânimes em afirmar que não se pode omitir que foi uma riqueza muito grande de movimentos juvenis, que eram pautados pela contestação a nível mundial e que, no Brasil e na América Latina era marcada pela luta contra o regime autoritário e na luta da conquista dos ideais democráticos. “A reflexão que a nossa geração se propõe a fazer é o seguinte: Quais são os limites desse processo de redemocratização promovido pela outra geração? Ela atendeu a que classe brasileira? Na periferia a polícia é a mesma, é o mesmo autoritarismo, é o mesmo genocídio, é o mesmo rito sumário? O Estado não chegou, não há escolas, não há universidades e não há emprego.” (Grupo Focal – Juventude PT).

        Os principais argumentos citados pelos jovens atuais eram que a juventude dos anos anteriores era marcada pelo movimento político e cultural e estava pautada inicialmente por questões subjetivas, como: censura, falta de liberdade de reunião, de lutas por participações políticas e ideais culturais – e era uma sociedade de pleno emprego. A vanguarda era constituída por jovens da classe média: “Quem estava em Woodstock não era necessariamente a classe popular; não necessariamente os jovens populares que estavam sofrendo mais agudamente as mazelas da sociedade. ...no sentido mais de vanguarda, que era o movimento estudantil(Brasil), era quem estava nas universidades; a UNE que pautou a morte de Edson Luis, os grupos revolucionários que entraram na clandestinidade eram da classe média, apesar da juventude estar presente naquela grande marcha pela família, pela ordem.” (Grupo Focal – Juventude PT).

        Já para o Grupo Focal – Jovens do PMDB é necessário  buscar o exemplo das gerações anteriores: “Em outras épocas, a juventude teve um papel decisivo na história deste país. Muita gente foi para a rua e lutou contra o militarismo. Hoje está faltando àquela vontade, aquele sonho, falta àquela meta de tentar mudar alguma coisa. Para a nossa juventude está faltando vontade. Isso tem que ser mudado. Trazer bandeiras para os jovens, trazer de novo perspectivas, sonhos.”

DEUS É FIEL!                                               Rafael Jácome

OS ANJOS DE DEUS

Irmão Rafael Jácome


“Os anjos já não são tão anjos assim. Deixaram de ser invisíveis, sem sexo e sem costas. Agora eles se mostram mais humanos, mundanos e sedentos de desejo, capazes até de se apaixonar perdidamente por quem deveriam proteger. Não chegam a ser demoníacos, mas revelam-se malvados e carnais.” (REVISTA ISTO É – 21/04/2010)

        Confesso que desde quando li este artigo da Revista Isto É me veio à vontade de escrever algo sobre o assunto. É impressionante como as indústrias cinematográficas e gráficas gostam de manipular as pessoas. O público-objetivo agora são os adolescentes com a nova onda de livros que apresentam anjos como heróis nos Estados Unidos. Com a edição de vários títulos inéditos, o tema causa frisson e chama a atenção da garotada devido ao envolvimento e das batalhas amorosas dos anjos.

         Mas na verdade o que são os anjos?

        A Bíblia fala da manifestação dos anjos tanto no Antigo, quanto no Novo Testamentos. São inúmeros os textos do Antigo Testamento que comprovam a realidade dos anjos. As suas origens não são indicadas, pode ser que tenham sido criados imediatamente após a criação dos céus e antes da terra e não desde a eternidade. Eles foram criados para darem glória, honra e ações de graça a Deus e embora não seja citado, acredita-se que a quantidade de anjos é muito grande, é única e incontável. Entretanto, não procriam e foram criados de uma vez pelo poder da Palavra de Deus (Sl 148.2-5).

        Na sua criação não existiam distinções entre bons e maus. Foram criados no mesmo nível de justiça, bondade e santidade (2Pe 2,4; Jd 6). Como seres morais de livre-arbítrio, através de Lúcifer, a Bíblia fala acerca dos anjos que pecaram contra o Criador e não guardaram a sua dignidade, enquanto aos que permaneceram fiéis a Deus, Ele os exaltou e os confirmou em sua posição celestial e para sempre estarão na sua presença, contemplando e executando a vontade do Criador. Esses são chamados de “santos anjos”, contemplam a face de Deus, tem vida imortal e sua atividade mais elevada é a adoração a Deus.

        Jesus afirma que os anjos não se casam (Mt 22.30; Mc 12.25) e não há nada na bíblia que diga que anjos têm poderes sexuais, ou que possam se reproduzir, ou que possuam sexo. Seus nomes masculinos, não se refere em nenhum momento à uma ordem de sexualidade humana (macho ou fêmea). São descritos espíritos, porque diferentes dos homens não estão limitados às condições naturais e físicas. Aparecem e desaparecem, e movimentam-se com uma rapidez imperceptível sem usar meios naturais. Apesar de serem espíritos, têm o poder de assumir a forma de corpos humanos a fim de tornar visível sua presença aos sentidos do homem (Gn 19 1-3).

        Os anjos não são oniscientes, isto é, não sabem tudo; são seres inteligentes, poderosos, mas não fazem coisas peculiares à Divindade: criar, agir sem os meios, ou sondar o coração do homem. Eles podem influenciar a mente humana como uma criatura pode influenciar outra; tomam decisões e tem capacidade de escolha; possuem habitação; são seres superiores em poder e força aos homens, contudo, jamais aceitam adoração e são inferiores a Jesus Cristo: anjos são súditos, Cristo é o Senhor.

        No imaginário humano das histórias os anjos aparecem com asas e outros sem asas, às vezes têm o formato humano. Tomás de Aquino afirmou que eles são “espíritos puros”, não compostos de matéria, mas composto de essência e existência, de ação e de potencialidade. No livro do Apocalipse cita que os cristãos não devem exaltá-los (Ap 22. 8-9); os que fazem, perdem a sua recompensa futura (Cl 2.18).

DEUS É FIEL!                          Rafael Jácome

segunda-feira, 24 de maio de 2010

A QUESTÃO DO IRÃ E A VAGA NO CONSELHO DE SEGURANÇA

Consultor: Rafael Jácome


        O governo Lula pode ser taxado de muitas coisas, boas e ruins, mas uma das suas melhores escolhas é lutar por uma vaga no Conselho de Segurança na Organização das Nações Unidas – ONU. O fortalecimento da ONU é primordial para o estado de paz mundial e o respeito às liberdades das nações. Por seu histórico de país pacífico e de ter em sua Carta Magna que a exploração dos serviços e instalações nucleares de qualquer natureza em território nacional somente será admitida para fins pacíficos e mediante aprovação do Congresso Nacional, o Brasil já é por natureza constitucional um país mediador em busca de solução pacífica dos conflitos entre os países.

        No recente acordo realizado entre o Brasil, Irã e Turquia, através da intermediação do governo brasileiro, ficou claro que é possível o país lutar por esse espaço. O Conselho de Segurança é o órgão mais importante da ONU e faz-se necessário democratizá-lo para implementar a eficiência e legitimidade das Nações Unidas. A sua imagem desde o episódio da Guerra do Iraque está abalada, por ter suas decisões desrespeitadas inicialmente pelos Estados Unidos, depois por alguns países europeus. Prevaleceram os interesses bélicos em contrapartida da soberania de uma nação e do seu potencial econômico petrolífero.

        Boa parte da imprensa brasileira tenta diminuir a intermediação do governo, em especial do presidente Lula, na questão do Irã. Hoje, na mídia nacional, foi desmoronada a posição do governo de Barack Obama, quando o mesmo antes do encontro, escreveu ao nosso presidente da importância do acordo entre o Brasil e o Irã. Por que ele mudou de opinião?

        As especulações em torno do que está por trás vão desde as pressões da indústria bélica, ao fato dos países desenvolvidos e possuidores da tecnologia nuclear impedir que países emergentes tenham acesso a mesma. O Brasil sabe e até experimenta aos poucos, o poder da transformação do uso desta energia. Para se ter uma idéia é possível integrar todo potencial energético das bacias amazônicas e do prata, unidas por suas centrais nucleares. É coisa grande, transformadora, inovadora e rentável.

        A história será a mesma do Iraque? O fato de o Irã aceitar o acordo proposto pelo Brasil é de grande importância para as nações que querem ter o direito de possuir novas tecnologias e a liberdade de expandir seus conhecimentos. Agora, pelo fato de ser um país de uma região marcada pelos conflitos bélicos, não significa necessariamente que irá produzir bombas atômicas. Precisamos está atento, pois nesta região quem manda são os grandes empresários estadunidenses, detentores do reino do petróleo e defensores dos seus interesses.

         O Brasil deve sim ocupar uma vaga no Conselho de Segurança e de imediato.

DEUS É FIEL!                                    Rafael Jácome

terça-feira, 18 de maio de 2010

UMA BOMBA-RELÓGIO VAI EXPLODIR?

Consultor: Rafael Jácome

        Na semana passada debatemos sobre a questão da falência do Sistema Penitenciário Brasileiro e na edição de domingo (16) do jornal Tribuna do Norte saiu uma matéria com o título: “Alcaçuz, uma bomba-relógio” assinada pela repórter Roberta Trindade. As denúncias são de descaso, ineficiência e falta de segurança: “As deficiências são tantas que é difícil enumerá-las. Talvez o mais grave seja a falta de condições de trabalho para os policiais militares e agentes penitenciários. Falta tudo”, cita a matéria.

        A repórter focou as condições de trabalho dos profissionais. A escassez de algemas, armas, viaturas, coletes à prova de balas, medicamentos, médicos, dentistas, assistentes sociais e psicólogos, além da falta de contingente humano para assegurar a segurança do presídio, é comum a construção de túneis. Os momentos agravantes ocorrem quando falta energia elétrica. O caos toma conta do local e dos profissionais, que ficam “como cegos em tiroteio” - como dizia seu Jacó lá no sertão de Patu, atirando de um lado para o outro, ou melhor, de uma guarita para outra, em série.

        É preciso citar mais alguma coisa? O país precisa urgente rever sua política do Sistema Penitenciário ou vai esperar a BOMBA EXPLODIR?

DEUS É FIEL!                                            Rafael Jácome

AS ENERGIAS RENOVÁVEIS E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.

Consultor: Rafael Jácome



        O crescimento populacional no mundo está aumentando de forma desproporcional e nos próximos 50 anos atingirá o número de mais de três bilhões de habitantes. Atender a essa demanda energética, que não para de crescer com o desenvolvimento econômico e social, será uma tarefa árdua. Apesar dos esforços mundiais de conter a emissões de gazes de efeito estufa ou de geração de resíduos radioativos, poucos países contribuem com a sustentabilidade global.

        A energia renovável será uma das formas de contribuição para a diminuição do efeito estufa. Entretanto, os técnicos no mundo inteiro questionam se as energias renováveis como etanol, eólicas e hidroelétricas são sustentáveis e substituirão o petróleo ou a fusão nuclear, tendo em vista a “guerra” entre os países em ter acesso a novas tecnologias e produção das mesmas.

        Mas, energias renováveis também emitem CO2, principalmente na montagem e operação de seus sistemas, ou seja, para ocorrer a produção de 1.000 MW de potência, seja na eólica, nas barragens, acontece a emissão de gás na atmosfera. A agroenergia é a mais limpa: etanol e co-geração com o bagaço da cana; biodiesel com óleos vegetais; lenha e carvão das florestas energéticas, minimizam a situação.

        No Brasil 45% da sua matriz energética é de energia renovável e a tendência é aumentar com a construção e operação de novas hidroelétricas. Enquanto países como os Estados Unidos (que mais contribuem com o efeito estufa) e europeus continuam na contramão da sustentabilidade mundial. Acusam os países pobres e os em desenvolvimento, mas poucos contribuem com a renovação energética. A meta dos europeus como a Suécia, por exemplo, é de chegar a 30% de energia renovável em décadas.

DEUS É FIEL!                  Rafael Jácome






NATAL RECEBE CRENTES DE TODO O BRASIL


Irmão Rafael Jácome




        Crentes de todo o Brasil estarão reunidos em Natal no período de 3 a 5 de junho. A cidade foi escolhida para recepcionar os três maiores eventos programados para o nordeste brasileiro: o Congresso Feminino, a Escola Bíblica Nacional e a Conferência Pentecostal, eventos comemorativos aos 100 anos da Assembléia de Deus no Brasil.



        A Diretoria da IEADERN através do Pastor Presidente Raimundo João de Santana conclamou os seus membros para acolherem com muito amor e carinho os irmãos peregrinos. Que não seja o glamour da “Cidade do Sol” ou “Noiva do Sol” como é conhecida, mas que seja a união, a unção e as orações dos fiéis do nosso estado que dêem o brilho da presença do Senhor na vida da nossa Igreja.



        A Conferência Pentecostal ocorrerá no Espaço de Natal (3 a 5), onde haverá grandes cultos de adoração, pregação, milagres e batismo no Espírito Santo. A programação é aberta a todos, iniciando às 19h e contará com os seguintes preletores: Pr. José Wellington/SP, líder da CGADB (Convenção geral das Assembléias de Deus no Brasil), Pr. Josué Brandão/BA e Pr. José Satírio da Colômbia.



        A Escola Bíblica Nacional ocorrerá no Templo Central, no alecrim, da Assembléia de Deus. Terá como preletores vários pastores, destacando-se o próprio Pr. Wellington e o Dr. Ron Mc Manus dos Estados Unidos da América. Serão apresentados estudos bíblicos, experiência ministerial, evangelismo e missão, resgatando a pregação bíblica, o marco efetivo para o líder do século XXI, entre outros temas.



        O evento do Congresso Feminino será no Centro de Convenções do Praiamar Natal Hotel & convencion em Ponta Negra. Um encontro de mulheres cheias do Espírito Santo, reunidas para adoração, intercessão e estudos da Palavra de Deus. A programação será a partir das 9h da manhã e contará também com preletores(as), destacando-se Wanda Freire da Costa e o Pr. Jeel Freire Costa da Flórida dos Estados Unidos das Américas.



        Estarão louvando nos eventos o Pr. Victorino Silva, Lilia Paz, Sumara Santos e Marcelo Santos.



        Maiores informações e inscrições na Igreja Assembléia de Deus, rua Manoel Miranda, 251 – Alecrim ou pelo telefone: 84/3223-7429.



DEUS É FIEL!                              Rafael Jácome

sexta-feira, 14 de maio de 2010

ASSISTENTES SOCIAIS SÃO FUNDAMENTAIS NA EFETIVAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS

Consultor: Rafael Jácome
HOMENAGEM AO DIA DA ASSISTENTE SOCIAL
EXTRAÍDO DO JORNAL PLENÁRIO - A Notícia Agora - 14/05/2010


        Neste sábado, dia 15 de maio, o Brasil comemora o Dia da Assistente Social. Mas você sabe o que faz uma profissional desta área? Segundo Odailde Ferreira Campos, formada há 15 anos em Serviço Social, os assistentes sociais trabalham para efetivar os direitos sociais da comunidade não apenas na área da Assistência propriamente dita, através dos programas sociais, mas também em campos como a saúde, em empresas privadas e também Organizações Não-Governamentais (ONGs).

        O assistente social trabalha através da intervenção e da proposição de políticas públicas que possam responder pelo acesso dos segmentos de populações aos serviços e benefícios construídos e conquistados socialmente”, explica Odailde.

         Pela própria natureza de sua atividade, com frequência esse profissional se depara com situações muito cruéis da vida. Odailde Campos conta que em seus anos de experiência, jamais vai esquecer a cena de um bebê que encontrou morrendo desnutrido em uma rede.

         Esta é uma situação muito constrangedora e degradante. É por isso que trabalhamos no sentido de fortalecer as políticas públicas para que elas sejam capazes de responder de modo eficaz a problemas como este, destacou a assistente social.

          No Brasil, os gestores da Asssistência Social têm trabalhado incessantemente para implantar o Sistema Único da Assistência Social (SUAS), que torna a Assistência uma política pública que precisa ser encarada como dever do Estado e direto de todos no suprimento das necessidades básicas dos indivíduos, sem que seja confundida com caridade e assistencialismo, práticas que permeavam a área.

        Longe de ser uma profissão que apenas atende aos mais pobres, a tarefa do assistente social é analisar a realidade social dos indivíduos e propor intervenções que realmente possam modificá-la, indicando os caminhos para vencer situações de vulnerabilidade vividas pela comunidade, frisou Odailde.

          Na avaliação da secretária de Estado da Inclusão, Assistência e do Desenvolvimento Social (Seides), Maria Luci Silva, a assistência social possui um papel fundamental na efetivação da intersetorialidade das ações na administração pública. São profissionais indispensáveis para a eficácia das políticas públicas, afinal, são os assistentes sociais que fazem uma leitura mais apurada da realidade a ser transformada, já que vivenciam o trabalho na ponta, disse.

          Segundo Maria Luci, basta, por exemplo, visitar um Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) para perceber que o atendimento de uma profissional do serviço social repercute na saúde, na educação, na cultura, no meio ambiente, nas políticas de habitação, etc.

          Comemorar o Dia do Assistente Social é reconhecer a importância dos serviços prestados por essas pessoas ao bom andamento de uma administração como a que é liderada pelo governador Marcelo Déda, que busca a evolução social, política e econômica das comunidades, especialmente daquelas com alto índice de vulnerabilidade social, finalizou.

A PAZ DO SENHOR!

PREGÃO ELETRÔNICO COMO FACILITADOR DE COMPRAS PÚBLICAS

Consultor: Rafael Jácome
 
 
        Desde quando foi instituído o Pregão Eletrônico nos órgãos públicos o processo de compras foi facilitado e melhorado. É um instrumento que simplificou a aquisição e permitiu a agilização de várias necessidades dos entes federativos. Apesar do sucesso temos ainda muitos casos de corrupção presentes nos processos licitatórios. Esse ano, o presidente da República encaminhou ao Congresso Nacional um Projeto de Lei que procura, dentro do Marco Regulatório Internacional, instituir o combate de corrupção pela punição das empresas corruptoras. Esse projeto prevê a possibilidade de aplicações fortes, contra empresas, inclusive o fechamento dessas.

        O acampanhamento dos recursos federais é feito primeiro pelo próprio ministério, que é responsável pelo repasse. Ele acompanha, fiscaliza e controla a aplicação. Na segunda linha de acompanhamento, existe a Contraladoria Geral da União - CGU. Um exemplo muito importante deles é o sorteio de municípios Brasil afora para fazer uma fiscalização global desses investimentos. No terceiro nível existem os órgãos de controle externo, tais como o Tribunal de Contas da União - TCU, que faz o seu acompanhamento, e pelo próprio Ministério Público. Quando constatado atos irregulares, a Advocacia Pública é acionada para recuperar esses recursos e buscar, em casos mais graves, a punição por improbidade daqueles administradores que aplicaram equivocadamente recursos.
        A advocacia pública juntamente com o Tribunal de Contas da União (TCU) trabalham para buscar, punir e reverter aos cofres públicos os valores, que foram apropriados indevidamente. Ano passado foi recuperado segundo dados da União,  cerca de R$ 250 milhões em decorrência dessas ações.

A PAZ DO SENHOR!                     Rafael Jácome

AS PRECARIEDADES E FALÊNCIA DO SISTEMA PENITENCIÁRIO BRASILEIRO

Consultor: Rafael Jácome

        Nos livros sempre encontramos que a nossa descendência é um somatório formado de bons cidadãos e por um grupo de homens aventureiros, saqueadores e bandidos e dentre eles muitos delinqüentes e criminosos, catequizados por religiosos exploradores, grande influência de piratas e prostitutas inglesas, negros escravizados e de índios. Foi neste contexto que ocorreu a colonização brasileira.


        O país na sua atualidade histórica está diante da realidade do fracasso do Sistema Penitenciário Brasileiro devido à superlotação dos presídios e o grande déficit financeiro. Estima-se que serão necessários cerca de R$ 600 milhões para cobrir o defict prisional e, apesar da construção de muitos centros de detenção provisória, o esvaziamento das delegacias e detenções não será resolvido.



        Mas, se existem verbas por que a situação não melhora? O país investiu na área de segurança pública de forma desigual: a polícia recebeu bons investimentos, assim como a justiça, mas o sistema prisional não teve o mesmo tratamento. É esse um dos fatores de desequilíbrio. A questão compreende vários pontos que podem contribuir com a melhoria do sistema: a alimentação eficiente do cadastro nacional unificado de presos, adequação de equipamentos, estruturas físicas melhores, prevenção à criminalidade, redução dos índices de crimes, envolvimento da sociedade, implementação de programas educativos em áreas de riscos, melhoria do sistema brasileiro de ensino básico, dentre outras coisas.



        Segundo estatísticas existem cerca de 80 mil presos que poderiam está em liberdade, mas por falha do próprio sistema, continuam superlotando os presídios. Há algo de errado nesta estrutura, pois não é criando “pulseiras eletrônicas” que controlem as saídas dos detentos que resolverá o problema. A realidade é outra e é maior que a formação de “força-tarefa”, pois o mal tem que ser combatido nas causas e bloqueado os seus efeitos. Assim, quem sabe, a sociedade civil, as entidades governamentais e o poder judiciário unidos e organizados, possam combater de fato o crime e o tráfico de drogas.



DEUS É FIEL! Rafel Jácome










quarta-feira, 12 de maio de 2010

O NARCISISMO E A INCAPACIDADE DE AMAR

Consultor: Rafael Jácome

        Durante a aula de Ética do professor Pe. Dino, ele sempre nos alertava sobre a conduta no amor fraterno. Nos seus 68 anos de idade gostava de ressaltar a diferença entre o amor erótico e o amor fraterno. Afirmava que a verdadeira forma de amar, era o amor entre irmãos, pois possibilitava a solidariedade e a compaixão e buscava o desenvolvimento integral do homem, sua libertação e sua autonomia.

        Mirko, era um italiano das redondezas de Trento, cidade ao norte da Itália. Era alto, forte, loiro, gostava de teatro e de vida boa. Estudava conosco mesmo não sabendo qual era de fato sua vocação religiosa. Era uma figura carismática, mas de poucas palavras próprio dos moradores daquela região.

        Enquanto Pe. Dino falava sobre o egoísmo como ausência de auto-estima e que o indivíduo egoísta ama, sobretudo a si mesmo e valoriza-se ao extremo, Mirko pediu a palavra: “Quero contar uma história: Em tempos idos, na Grécia, o rio Cefiso, engravidou a ninfa Liríope. Meses depois, ela, apesar de não desejar a gravidez, deu à luz uma criança de beleza extraordinária. Por causa disso, Liríope consultou o adivinho Tirésias sobre o futuro de seu filho, e ele atestou que Narciso viveria, desde que nunca visse sua própria imagem.

        Sob essa condição, ele cresceu e tornou-se um moço tão belo quanto o fora em criança. Não havia quem não se apaixonasse por ele. Narciso, entretanto, permanecia indiferente.

        Um dia, porém, estando sedento, Narciso aproximou-se das águas plácidas de um lago e, ao curvar-se para beber, viu sua imagem refletida no espelho das águas. Maravilhado com sua própria figura, apaixonou-se por si mesmo. Desesperadamente, passou a precisar do objeto de seu amor, viu que não conseguiria mais viver sem aquele ser deslumbrante. Sua vida reduziu-se a contemplação daquele jovem tão belo: desejava-o, queria possuí-lo. Desvairado, inclinando-se cada vez mais ao encontro do ser amado, mergulhou nos braços da morte”.

        Como na nossa turma existiam pessoas de toda a parte do mundo, muitos não conheciam o mito de Narciso. As reações foram as mais diversas possíveis, até que Yob, um filipino exilado com a família na Austrália, ressaltou: “Mas que estória mais triste. O cara morreu afogado, abraçado com a morte!”

        Mirko, com seu forte sotaque trentino, respondeu: “Não meu caro Yob, às margens do lago nasceu uma entorpecedora flor: o narciso. Ela relembra para sempre o destino trágico daquele que, aparentemente apaixonado por si mesmo, era, na verdade incapaz de amar”.

DEUS É FIEL!                       Rafael Jácome

PARANINFO DA PRIMEIRA TURMA DE PROCESSOS GERENCIAIS

Consultor: Rafael Jácome

        Recebi o convite para ser PARANINFO da turma de PROCESSOS GERENCIAIS da Universidade Castelo Branco - Pólo Natal. Estou muito feliz pela lembrança e estima dos alunos. É uma grande satisfação ser homenageado por um grupo de pessoas que compraram a idéia do sistema de educação a distância e que perseveraram até o final.

        Não é todo dia que se recebe um convite desses. Agradeço de coração! Vamos comemorar mais uma vitória em nossas vidas. QUE VENHA A FORMATURA!  


DEUS É FIEL!                       Rafael Jácome

terça-feira, 11 de maio de 2010

O CRESCIMENTO URBANO EM NATAL

Consultor: Prof. Rafael Jácome



        O crescimento urbano registrado no Rio Grande do Norte nas últimas décadas concentrou-se na Região Metropolitana de Natal, principalmente na capital, que concentra aproximadamente 25% da população do estado.

        Natal, a exemplo de outros centros urbanos do país, não estava preparada para receber esse elevado contingente populacional que, em virtude de seu baixo poder aquisitivo, só teve como opções de moradia favelas e vilas. Este processo iniciou-se na década de 60, com as favelas de Brasília Teimosa e Mãe Luiza. No final da década de 70, sob a política nacional habitacional vigente, surgem conjuntos habitacionais na periferia de Natal, intensificando-se nos anos 80, principalmente na região norte da cidade.

        “O processo de implantação de conjuntos habitacionais, na periferia de Natal, gerou enormes vazios urbanos, provocando a descontinuidade do traçado urbano. Isso favoreceu, consequentemente, a valorização da terra, gerando elevados custos na implantação dos serviços de infra-estrutura e estimulando o processo de especulação imobiliária e, por conseguinte, conduzindo a uma situação intra-urbana desfavorável, na qual ocorre a exclusão social, induzindo a população menos favorecida economicamente a palatinamente morar em vilas e favela”. (Natal, 2015, 1999)

        Este contexto agravou o quadro de exclusão social, constatando-se que neste mesmo período acentuou-se o processo de favelização da cidade. A existência de política habitacional(ineficiente) não impediu a proliferação de assentamentos populacionais de baixa renda na capital.

        De acordo com dados da SEMURB (2003), existiam em 2001, 70 assentamentos subnormais em Natal, abrigando uma população de 55.122 habitantes em 14.458 habitações, com densidade domiciliar de 4,5 pessoas. Índice maior que a média da própria Natal. Nas régiões norte e oeste estão concentrados o maior número desses assentamentos: são 48 com 49.499 habitantes.

        A Secretaria Municipal do Trabalho e Assistência Social aponta a existência de mais de 8,9% da população vivendo em situação precária de moradia nas favelas.Cabem portanto, estratégias de políticas urbanas que combatam a deficiência habitacional e implante projetos de geração de emprego e renda para seus moradores.

DEUS É FIEL!                                   Rafael Jácome

segunda-feira, 10 de maio de 2010

LIÇÕES DOS “ENTAS” NO CONTEXTO DOS “CICLOS EVOLUTIVOS” DA HUMANIDADE

Irmão Rafael Jácome


        O título é estranho, mas a mensagem deste artigo comunga a realidade de todos que superam os quarenta, os cinquenta, os sessenta, ...os noventa anos de idade. A faixa etária dos homens e mulheres adultas, com experiências e testemunhos de vitórias e derrotas. Marcados pelas lições da vida, refletem a dinâmica dos seus ensinamentos, dúvidas, emoções, frustrações, ambições, alegrias e tristezas, mas caracterizados pela vivência de cada ciclo evolutivo na trajetória história de cada um.

        Eis um termo que pode bem definir o núcleo deste pensamento: “Ciclo Evolutivo”, isto é, as etapas que formam o patrimônio histórico de cada um de nós, contextualizados nos grupos dos “ENTAS”. Defino que são quatro os ciclos que marcam a nossa experiência de vida: a primeira quando ainda somos jovens. Costuma-se definir suas características como a fase dos sonhos, de perseguir o sucesso, demonstrar nossas capacidades, de não temer os desafios e encará-los de “frente”. Ter no sucesso a recompensa, o status e a afirmação do poder.

        O nosso segundo ciclo ocorre quando entramos na fase dos “ENTAS”, onde ocorrem as transformações em nossas vidas. O sucesso passa a ser um meio para um fim, ou seja, existe a busca da resposta para “aonde chegaremos?” Procuramos a estabilização, o acúmulo de projeção, bens, fama, dinheiro, em busca do conforto e estabilidade de vida. O amadurecimento impõe novos padrões e formas de interpretação da vida.

        Entretanto, percebemos que devido à complexidade da vida e de sua relação intrínseca com o mundo, ninguém consegue tanto poder para conquistar todos os sonhos. Isso caracteriza a terceira etapa do nosso ciclo evolutivo. Isso é um fato real, basta analisar os exemplos dos grandes personagens históricos, tais como Júlio César, Alexandre – O Grande, Hitler e tantos outros que buscaram o poder, mas acabaram sentindo a frustração de não atingir suas metas.

        A quarta e a última fase é a própria psicologia moderna que reluta em afirmar que o homem para confirmar suas vitórias ou derrotas, utiliza dois padrões de níveis psicológicos: o dos que dizem “A CULPA É MINHA” e traz para si todas as consequências, e o outro formado por aqueles que dizem “A CULPA É SUA” e coloca todas as consequências para os outros.

        Em todo o “Ciclo Evolutivo” as relações com o meio determinam o grau de sabedoria do homem. Ele(a) pode ter sido contemplado com vitórias contínuas e não ter conhecido o fracasso; ou pode ter tido grandes vitórias, acompanhadas ou recheadas de enormes derrotas; ou ainda, por grandes vitórias que são hoje palcos das desastrosas derrotas, que o levam para se sentir impotente e frustrado.

        Existem duas leituras com personagens distintas que podem ajudar na interpretação deste meu pensamento: Fausto, do poema dramático do poeta alemão Goethe, que conta a história de um homem que vendeu sua alma ao diabo, em troca de um só momento tão maravilhoso que o faça dizer: “deixe que este momento se prolongue, pois ele é tão bom”. O outro é extraído do livro Eclesiastes, um pregador que se volta às suas observações sobre o fim igual para criaturas diferentes. Tanto homens como animais enfrentam a mesma morte e vão para o mesmo lugar: a sepultura.

        Ambos viveram de formas diferentes as características dos “Ciclos Evolutivos”: a mesma mesmice, a vaidade das possessões, da sabedoria, do trabalho, das riquezas, das desigualdades na vida, nos trabalhos sem recompensa, do tempo determinado para tudo – nascer e morrer, de não conhecer o seu tempo determinado. Entretanto, descobriram que o sentido e o verdadeiro prazer da vida não podem ser determinados pelo intelecto humano, mesmo que se esforce em descobrir essa tarefa dia e noite.

        Existe uma diferença crucial entre ambos: um vendeu sua alma ao diabo, o outro confiou sua vida ao Senhor. O pregador de forma enfática finaliza como que finalmente entendeu as etapas do “Ciclo Evolutivo” da humanidade: “Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más”(Ecl 12.14).

        Finalizando, na frase de saudação deste meu precioso blog está o segredo de tudo: “Assim como tu não sabes qual o caminho do vento, nem como se formam os ossos no ventre da mulher grávida, assim também não sabes as obras de Deus, que faz todas as coisas” (Ecl 11.5).

DEUS É FIEL!                                  Rafael Jácome

domingo, 9 de maio de 2010

FICA CONOSCO JESUS

Irmão Rafael Jácome



        É muito gostoso quando alguém ama uma pessoa e pede: fica comigo, pois já é tarde e a noite vem chegando! É bom demais. Antes de tudo significa uma boa companhia, amiga, desejável, querida, confidente,...Existe a determinação e a vontade de permanecer juntas. Independente do tipo de relacionamento demonstra o carinho que envolve as pessoas e inspira a disposição de continuar desfrutando do momento.



        Assim aconteceu com os dois discípulos de Jesus quando caminhavam para Emaús, logo após a morte do Mestre. Tristes, cabisbaixos, decepcionados com sentimento de perda. Discutiam entre si tudo que havia ocorrido em Jerusalém, dando como certo a derrota do Filho de Deus. Entretanto, Jesus de forma inesperada aproximou-se dos dois e iniciou um colóquio intimo sobre os acontecimentos ocorridos. “Mas como peregrino, não sabes as coisas que ocorreram em Jerusalém?” Perguntavam os companheiros. E passou Jesus toda a viagem conversando com eles, ouvindo os seus resmungos e lamentos, mas enchendo os seus corações de conforto.



        Mas quem disse que está vizinho a Jesus é fácil? Como se os seus olhos estivessem fechados para que não O conhecesse, o Mestre admoesta-os dizendo: “Ó néscios e tardos de coração para crer tudo que os profetas disseram!” Ele taxativamente incitou os dois a perceberem a realidade das escrituras. Jesus foi duro, mas verdadeiro. Este é o diferencial de quem ama: levar as pessoas ao caminho da verdade.
        Com os seus corações ardendo de entusiasmo, eles pediram: “Fica conosco, porque já é tarde, e já declinou o dia.”



DEUS É FIEL!                            Rafael Jácome