quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

A Verdadeira Arma

Fonte: "Vencendo Batalhas" de Silas Malafaia - pag.34


1)      Larry Lea mencionou, num livro que escreveu, todas as armas que necessitamos para derrotar o diabo: O sangue de Jesus, a oração, a armadura de Deus, o louvor, a exposição da Palavra, o nome de Jesus e a perseverança. - Fonte: As Armas da Sua Guerra, pg 8 - Larry Lea.
 
2)      Conta-se uma história na qual o diabo resolveu vender todas as ferramentas que ele costumava usar. Lá estavam: o ódio, a malícia, a inveja, a enfermidade, e muitos outros - instrumentos usados para enfraquecer e desviar as pessoas de Deus. Jogado num canto estava um instrumento aparentemente inofensivo chamado "desânimo". Parecia bem gasto, e era o mais caro de todos. Perguntaram ao diabo por que aquele instrumento custava tanto, e ele respondeu: "Bem, é porque esse é o mais fácil de se usar, pois ninguém sabe que pertence a mim. Com este instrumento, eu posso arrebentar a porta do coração com mais facilidade, do que qualquer outro. O desânimo faz com que as pessoas desistam e deixem o caminho de Deus". Esta história ilustra uma verdade pouco reconhecida. Não se ganha nenhuma batalha com desânimo. Desânimo é sinônimo de fracasso.

O PRÉDIO EM RUÍNAS


     Um empresário interessado em comprar um prédio para montar uma empresa procurou uma imobiliária. O agente então o levou para um edifício muito grande e bem localizado. No entanto, o lugar estava totalmente deteriorado. Paredes rachadas, vidraças quebradas, entulhos por toda a parte.

      E sempre que o empresário olhava para as ruínas, o agente imobiliário dizia que em breve a imobiliária faria uma pequena reforma para melhorar o aspecto do prédio. No final da visita, o empresário disse que estava interessado em comprar o imóvel e não pediu nem desconto no preço.

      Surpreso e ao mesmo tempo alegre, o agente disse que só iria mandar fazer a reforma o mais rápido possível para assim entregar o edifício ao empresário.

      Ele, porém, disse que não precisava. “Pode deixar tudo do jeito que está, porque eu vou demolir o prédio inteiro. Quero aproveitar apenas o terreno.

      A mesma coisa Jesus quer fazer com você. Não pense primeiro em ajeitar a sua vida e deixar seus vícios, para só então se entregar a Jesus. Vá a Ele do jeito que você está, e o Salvador o receberá de braços abertos. Afinal, ele quer mudar a sua vida totalmente, sem deixar nenhum resquício de pecado para trás.

O TOURO E A FORÇA



        Um homem foi a uma tourada. No final da apresentação resolveu olhar os touros mais de perto, dirigiu-se então para o local onde eles estavam presos. Ao se aproximar de um touro percebeu que ele estava preso por uma corda muito fina e, que facilmente poderia ser rompida pelo touro. Naquele momento, pensou o homem, se o touro arrebentar esta corda com certeza ele irá me atacar, desesperado ele procurou se retirar do lugar. Quando saía rapidamente encontrou um senhor que cuidava dos touros.

- O que houve meu jovem? – Perguntou o senhor.



- Este touro está preso por uma fina corda e se fugir irá nos matar – Respondeu angustiado.


- Calma meu jovem – disse o velho com um sorriso no rosto – O touro não arrebenta a corda porque ele não sabe a força que tem.

 12 Em verdade, em verdade vos digo: Aquele que crê em mim, esse também fará as obras que eu faço, e as fará [maiores] do que estas; porque eu vou para o Pai;

Jesus disse que você poderá fazer obras maiores do que as Ele fez. Saiba disso e arrebente as amarras pelo poder do nome do senhor.

A Liderança Cristã, as Autoridades e o Povo.

Por Rafael Jácome


     O cristão quando chamado a exercer uma atividade política, ele deve entender que exercerá uma liderança acima de tudo espiritual. A sua vivência evangélica será o diferencial da sua experiência profissional, tendo em vista que o exercício da liderança espiritual é diferente das idéias que o mundo tem sobre o exercício da liderança. A primeira atitude do líder cristão é distinguir o seu papel de cidadão (pessoal),  do seu lado profissional: na diversidade ambas complementam suas atitudes, comportamentos e decisões. Não pode misturar as coisas!
 
     O caráter do líder cristão é determinante para o seu sucesso pessoal e na relação com as autoridades ordenadas por Deus, isto dá visibilidade a sua maturidade espiritual. Ter clareza em sua vida de perceber que representa a Deus quando exerce o status de lider, pois é Ele que dá esta autoridade e honrar o Senhor, para que possa receber os galardões e o povo ser abençoado. Devido a nossa natureza humana que é pecaminosa - em rebelião contra Deus -, geralmente o líder não sabe relacionar-se com as autoridades e muitas vezes a relação é transformada em idolatria e os seus atos em iniquidade.
 
    Toda a autoridade é constituída por Deus e deve ser respeitada, porém não mais honrada do que a Deus ou à sua Palavra. A lealdade é fator primordial para conquistar tanto a relação com as autoridades como a do povo. E um ponto fundamental nesta relação é saber o momento de falar: dominar a língua implica em obediência a Deus e ao invés de dizer aos outros coisas que não serão construtivas, relate a Deus. Não pode julgar as autoridades, mesmo que pareçam errados, entretanto, é necessário interceder por eles e deixar que Deus os julgue. A intercessão significa oração, não existe liderança cristã sem a oração. Portanto, o líder cristão deve orar por suas autoridades e pelo povo. No contraditório o melhor caminho é o diálogo!
 
     A caracteristica principal do líder cristão é a sua humildade. Quando exerce a liderança com simplicidade, é capaz de ouvir as pessoas, não dá espaços para o desprezo ou arrogância e não há acepções de pessoas. Todos, sem excessões, são importantes para Deus, até os adversários. Um bom líder cristão é aquele que sabe ouvir o Senhor. Que Deus constitua autoridades verdadeiramente cristã.
 
    

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

COMÉRCIO DO SAGRADO: DESVIOS E IMPLICAÇÕES

Por Rafael Jácome



                Os Meios de Comunicações destacam a prática atual nas igrejas cristãs, principalmente as evangélicas, de viver ansiosamente no imediatismo salvífico, numa espécie de filosofia do presente. Os problemas sociais vivenciados pelos fiéis, frutos da falência ou ineficiência dos mecanismos governamentais, tais como saúde, educação, habitação, emprego,... levam as pessoas a buscarem na religião uma proposta de solução “aqui e agora”, como é apresentada por algumas igrejas.

                 Neste contexto as pessoas apostam tudo o que possuem e até o que não possuem, para ter uma mudança de vida. Assim surgem algumas igrejas baseadas na Teologia da Prosperidade, destacando e relacionando esta “mudança de vida” pela forte influência do comércio religioso de bens simbólicos, mediado pela igreja e coordenado por seu responsável (pastor ou líder).

                 Mesmo ocorrendo uma conversão genuína, o novo convertido muitas vezes é manipulado, submetendo-se a “autoridade” do especialista da igreja. Entretanto, geralmente ocorrem divergências entre a realidade desejada, as pretensões do novo convertido e a Vontade de Deus. Nestas igrejas a “espiritualidade de mercado” conduz ao engano, confunde a alma e a espiritualidade comercializada torna-se uma grande idolatria.

                 Temos acompanhados o aumento substancial de evangélicos em todas as regiões brasileiras, entretanto é “questionada” a qualidade e a essência de suas vivências evangélicas no cotidiano. Os alicerces são construídos de formas aleatórias voltados para o imediatismo e a superabundância divina. É lamentável o envolvimento de tantos líderes evangélicos em manobras financeiras, aliás, o que é visto no grande império católico romano, é também presenciado nas demais igrejas. Não que o crente não tenha uma boa preparação em sua experiência inicial com Deus, mas ela é camuflada pela glória do TER.

                   Os falsos mestres e os perigos da riqueza – “Se alguém ensina outra doutrina e não concorda com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e com o ensino segundo a piedade, é enfatuado, nada entende, mas tem mania por questões e contendas de palavras, de que nascem inveja, provocação, difamações, suspeitas malignas, altercações sem fim, por homens cuja mente é pervertida e privados da verdade, supondo que a piedade é fonte de lucro. De fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento. Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes. Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição. Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores.” (1 Tm 6.3-10)

 
                              

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Cabral em Desgraça

Fonte:Brasil: Terra à Vista - Eduardo Bueno

 
     Em 21 de julho de 1501, Pedro Álvares Cabral ancorou no porto de Restelo, de onde partira um ano, quatro meses e 12 dias antes. O comandante dirigiu-se de imediato a Santarém, onde o rei D. Manuel estava passando o verão. Embora apenas cinco dos 13 navios (um afundara na volta da Ìndia, outro fora queimado, mas a nau que tinha se desgarrado voltara a se incorporar à esquadra) estivessem de volta e somente 500 dos 1.500 homens houvessem sobrevivido, as perdas da expedição não ficaram muito acima da média da época. Além disso, os navios trouxeram tanta pimenta para Lisboa que as cotações do mercado foram bruscamente alteradas na Itália. Ainda assim, Cabral adquiriu fama de "desafortunado nas coisas do mar" e caiu em desgraça junto ao rei.  O motivo pode ter sido sua recusa de aceitar o cargo de subchefia de uma nova armada ppara a Índia: desfeita que o rei jamais perdoou. Cabral continuou recebendo pensão, mas nunca retornou à corte. Morreu no exílio, em 1520, esquecido em Santarém, sem saber que havia revelado ao mundo um território de proporções continentais, paarte de um novo mundo.

O Mar Tenebroso

Por Rafael Jácome


     Os fenícios foram os pioneiros na arte da navegação e os primeiros a cruzar as Colunas de Hércules e chegar por mar à Peninsula Ibérica, onde descobriram minas de prata. Eles teriam criado a lenda do Mar Tenebroso para impedir que outros povos penetrassem no Atlântico. Os fenícios faziam tecidos coloridos e seu nome provém de um corante natural usado para tingir os panos de vermelho vivo.

O Abismo da Borda do Mundo

Fonte: Brasil: Terra à Vista- Eduardo Bueno
 
     Embora seu país fosse banhado pelo Atlântico, os portugueses nunca haviam desafiado o Mar Tenebroso, um território mitológico e desconhecido. Os próprios árabes acreditavam que as "portas" daquele oceano eram guardadas, com a ajuda de um dragão, pelas "ninfas do Ponete", as Hespérides, filhas do gigante Atlas. Disposto a chegar à Guiné - de onde provinha o ouro que enriquecia Ceuta - D. Henrique decidiu enfrentar os perigos do atlântico. Os marujos de Sagres desesperaram-se, pois acharam que seus navios iriam despencar no abismo do fim do mundo; a maioria deles acreditava que a Terra era plana, como uma bandeja. Para além desses terrores imaginários, eles tiveram que enfrentar uma série de perigos reais: os ventos e as correntes contrárias, as longas calmarias sob o sol inclemente e as súbitas tempestades. Os marcantes, além disso, deparavam com estranhos fenômenos meteorológicos - como o chamado "fogo de São Telmo" (correntes elétricas que atingiam os mastros) - e com incríveis animais marinhos: peixes imensos, enormes polvos, baleias descomunais. Tais seres deram origem ao mito das sereisa e das serpentes marinhas - sempre prontas, na febril imaginação dos marujos, a devorar seus navios.
     Mas D. henrique exortou-os a seguir adiante.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Fugir nem sempre é a melhor opção

Por Rafael Jácome


     Enquanto eu escrevia o texto anterior sobre a questão da seca, do episódio do homem que cometeu suícidio e da saída do nordestino da sua cidade natal, o famoso fenômeno do êxodo rural, me veio em mente que nem sempre fugir é a melhor opção. Vocês, meus caros leitores, irão concordar que diante de tantas adversidades, o melhor é enfrentar, vivenciar e contar com a ação de Deus .
 
     Na Bíblia encontramos vários trechos de exemplos negativos de aluguns nomes que desistem e outros positivos dos que perseveram na dor, no escuro da caverna, mas não fogem. No período histórico de Juízes em Israel, houve um tempo que existiu muita fome e seca em Belém. Nesse tempo ocorreu uma grande crise. Elimeleque e Noemi, juntamente com seus dois filhos Malom e Quiliom abandonaram a cidade e resolveram ir para Moabe, em busca de suas sobrevivências. Nela predominava a idolatria.
 
     Essa família que buscava a sua sobrevivência, encontrou ali a morte. Elimeleque e seus dois filhos morreram e Noemi ficou viúva e sem filhos.
 
     Muitas vezes em nossas vidas falta o básico para o nosso sustento, mas não é prudente deixar a nossa casa, o nosso Deus, para buscar resposta em Moabe. Devemos crer que Deus é verdadeiramente o dono da prata e do ouro e que, segundo o Salmo 23, Ele é o nosso Pastor e nada nos faltará. Muitos se aventuram e caem porque não era da vontade de Deus.
    
     Na fuga muitos perdem sua identidade de escolhidos e não esperam o momento da entrega do pão, das bençãos e dos milagres operados  pelo nosso Senhor. Lutar, perseverar, acreditar que o Todo Poderoso nunca nos abandona e, pela fé crermos que Ele conserva a nós e aos nossos familiares, não nos deixando morrer.

O Efeito Devastador da Seca

Por Rafael Jácome


     Recebi uma ligação de um amigo falando da situação da seca que assola a sua cidade. É deprimente e preocupante, pois as pessoas não suportam mais e os pequenos produtores estão desesperados. Declarou que um homem de meia idade, não vendo mais possibilidade em reverter a situação da escassez de água e comida e a conseguente morte dos animais, num ato de loucura retirou-se de sua residência e suicidou-se com uma corda em uma árvore. Cenas chocantes como esta é difícil de aceitar e provoca revolta na população que não tem com quem contar.

     O mestre Patativa do Assaré, poeta e filósofo nordestino, conseguiu em diversos momentos de sua vida, transmitir a realidade do povo do nordeste brasileiro. Leia este seu escrito:

Setembro passou, com outono e novembro,
Já estamos em dezembro.
Meu Deus, o que será de nós?
Assim fala o pobre do seco Nordeste,
Com medo da peste,
Da fome feroz.

A treze do mês ele fez a experiência, Perdeu a sua crença
Nas pedras de sal.
Mas noutra experiência com gosto se agarra,
Pensando na barra
Do alegre Natal.

Rompeu-se o Natal, porém a barra não veio,
O sol, bem vermelho,
Nasceu muito além,
Na copa da mata, buzina a cigarra,
Ninguém vê a barra,
Pois a barra não tem.

Sem chuva na terra descamba janeiro,
Depois fevereiro,
E o mesmo verão.
Então o roceiro, pensando consigo,
Diz: isso é castigo!
Não chove mais não!
{.....}
E vende  o seu burro, o jumento e o cavalo,
Até mesmo o galo
Vendeu também,
Pois logo aparece feliz fazendeiro,
Por pouco dinheiro
Lhe compra o que tem.

Em cima do carro se junta a família;
Chegou o triste dia,
Já vai viaja.

A seca terrível, que tudo devora,
Lhe bota pra fora
Da terra natal.

domingo, 27 de janeiro de 2013

O Quarto de Geny Vitória

Por Rafael Jácome
 
     Sem definições! Não posso definir o sentimento de um homem que depois de muito tempo, vai ser pai pela primeira vez. Palavras não conseguem detalhar as expectativas, anseios e a vontade de vêr a filha nos seus braços. Pai é pai! Dizem que as mães por carregarem os filhos no ventre, apegam-se de forma magnífica com eles, no entanto, pais de primeira viagem curtem os momentos com elevado grau de sublimidade.
 
     O vídeo postado sobre o quarto de Geny Vitória reflete esta situação, um pai que está aguardando mais uma benção de Deus em sua vida. Mas, o melhor é assistir ao vídeo.
 
 

sábado, 26 de janeiro de 2013

Sonho

Fonte: Roseanna Murray

Um dia os homens acordaram
e estava tudo diferente:
das armas atômicas nem sinal havia
e todos falavam a mesma língua,
falavam poesia.

Quem visse a Terra do alto
nem,  reconheceria,
eram campos e campos de trigo
e corações de puro mel.
E foi uma felicidade tamanha,
nos jornais nem um só crime,
que contando ninguém acreditaria.

Roseana Murray nasceu no Rio de Janeiro, em 1950. Poeta de grande sensibilidade, produziu principalmente para crianças e jovens. Recebeu por três vezes o Prêmio de Melhor Livro de Poesia para crianças e jovens da FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil), além de outros prêmios no Brasil e no exterior.

O Dinamismo Psiquico - A Psicologia da Santidade 2

Por Rafael Jácome

 
            Este vídeo nos leva a entender a psicologia humana no seus aspecto dinâmico e da sua relação do Corpo X Alma. Falamos do ponto de vista freudiano em suas análises psicanistas,no foco do prazer humano e na força motriz de sua vida: o sexo. Do ponto de vista cristão apresentamos o amor como o elemento complementar da vida do homem. Porquanto são abordados os níveis Biológico, Psicológico e o Espiritual.Tanto mais livre é o homem, quanto mais plenamente se realiza, quanto mais decididamente se determina na direção de seu estado de perfeição. Mas, quando entra a Graça do Senhor Jesus, o homem tende a santidade. Este é o diferencial do cristão;
             Vejam o vídeo e façam seus comentário.



 
       

Frei João sem Cuidados

Fonte: Contos Tradicionais do Brasil para Crianças - Luis da C. Cascudo
 
 
     Frei João era um frade muito caridoso e simples e que não se envolvia com os negócios dos outros nen se preocupava com assuntos alheios à sua pessoa. Como dava muitas esmolas era estimado por toda a gente que o chamava "Frei João sem Cuidados".
 
     Ora, uma vez o rei passou pela terra em que morava Frei João e, sabendo da tranqulidade em que vivia o frade, mandou um criado dizer a ele que no outro dia viesse procurá-lo para responder a três perguntas:
 
     - Onde é o meio do mundo? Quanto pesa a lua? Em que pensa o rei?
 
     O frade ficou desesperado sem atinar com a explicação e passou a noite estudando e chorando. Pela manhã um pastor (de ovelhas) que trabalhava para ele veio vê-lo e sabendo do caso ofereceu-se para substituí-lo junto ao rei. Frei João aceitou e o pastor, vestido de frade, foi onde estava o rei na hora combinada. O rei, cercado de seus amigos, perguntou:
 
      - Onde é o meio do mundo?
     - O meio do mundo fica onde está meu rei, senhor.
     - Por quê?
     - O mundo sendo redondo qualquer lugar é o meio!
      - Bem respondido. Quanto pesa a lua?
     - Pesa uma libra porque se divide em quatro quartos!
     - Respondeu bem. Em que estou pensando?
     - Rei meu senhor está pensando que eu sou Frei João sem Cuidados e eu sou apenas o seu pastor!
 
     O rei achou muita graça no desembaraço do pastor, recompensou-o e deixou Frei João sem Cuidados em paz.

A Psicologia da Santidade 1

Por Rafael Jácome

 
           Este vídeo faz parte de uma série de apresentações que idealizei para avaliar o comportamento do homem em relação aos diversos aspectos de sua natureza humana e Deus. São sete videos demonstrando passo a passo os caminhos que levam a humanidade para a maturidade humana e espiritual. Deus criou todas as coisas e, entre elas o homem. Não o fez um Super Homem, mas um individuo limitado onde ter que aceitar suas fragilidades, porém quando renovado no Espírito do Senhor, tudo pode naquele que o fortalece.
           Este é o primeiro da série, vejam e depois façam os seus comentários.
 
 

O Poder da Palavra

Por Rafael Jácome


         A palavra sempre é uma ferramenta complexa onde nem sempre denota um sentido óbvio e único, mas que pode muitas vezes ser um instrumento de controvérsias e mal-entendidos. Entretanto, ela tem o poder de transformar o que não existe em realidade e de dar a aparência de irrealidade ao que realmente existe. 

          No cristianismo a relação com Deus é caracterizado pelo amor, e Deus é amor, e, Sua Palavra é a verdade. Como para o fiel toda verdade tem de ser divina (se algo é verdade, não pode provir do “pai da mentira”), toda verdade é, de fato, expressão da Verdade. Não pode haver duas verdades, uma natural e outra sobrenatural. Mas o objetivo do amor é fazer com que o ego seja em algum sentido aniquilado. No diálogo ou o amor, o egoísmo é uma possibilidade perpétua. “A própria linguagem pode ser um dom restritivo, sempre que nos prende aos conceitos de nossa experiência mundana.” (Armstrong, Karen – Uma História de Deus, 1994)

           Se a relação ocorre através do diálogo e do amor e no meio existe a Palavra – foco principal de devoção deste relacionamento, o egoísmo impera nas falhas e trágicas condições de vida terrena quando a Palavra é substituída pelas palavras. Assim encontramos a explicação das guerras entre os povos, das guerras santas, da opressão das nações, das misérias,... A palavra gera o amor e pode perpetuar o egoísmo. Yasser Arafat definiu bem: “A palavra é a maior arma”.

          Na tragédia Otelo, de Shakesperare, o mouro Otelo, apaixonado loucamente por sua jovem esposa, Dêsdemona, acaba assassinando-a porque foi convencido por Iago de que ela o traia. Tudo foi tramado por ele por inveja de outro membro da corte que iria ganhar cargos dado por Otelo. Tomando a mentira pela verdade, Otelo destruiu a pessoa amada, que morreu afirmando sua inocência. Iago construiu a mentira despertando o ciúme em Otelo, caluniando. Ele usou a linguagem, isto é, palavras falsas que envenenaram o espírito de Otelo.

          Podemos pensar: como é possível que as palavras tenham o poder para transformar o verdadeiro, falso, e tornar o falso, verdadeiro? Utilizando a ferramenta “mentira”. Ela produz a ansiedade: “Na verdade somos culpados, no tocante a nosso irmão, pois lhe vimos a angústia da alma, quando nos rogava, e não lhe acudimos, por isso, nos vem esta ansiedade” (Gn 42.21) Foi o que sentiram os irmão de José.

          A verdade é em Deus e Ele anseia por homens de verdade: “Procura dentre o povo homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que aborreçam a avareza.” (Ex 18.21) A nossa relação com Deus é baseada na verdade: “Eis a Rocha! Suas obras são perfeitas, porque todos os seus caminhos são juízo; Deus é fidelidade, e não há nele injustiça, é justo e reto.

 

DEUS É FIEL!                          Rafael Jácome

 

O Sujeito Auto Suficiente

Por Rafael Jácome



ESTA É PARA TODOS QUE SÃO AUTO-SUFICIENTES: Toda vez que batemos em nosso peito e atestamos que a culpa é sempre do outro e não reconhecemos nossas faltas, é necessário deixar-se abraçar pela misericórdia de Deus. Somos todos pecadores, entenda caro irmão: “Se dissermos que não temos pecado nenhum (natureza pecaminosa), a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados (frutos desta natureza pecaminosa) ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” (1Jo 1. 8-9)

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Diante de Ti Jesus

Por Rafael Jácome

     Estou na madrugada orando meu Senhor e meu Deus. No silêncio apenas ouço a Tua voz, me dando forças, incentivando e garantindo a Tua presença definitiva em minha vida. Quanto És maravilhoso, sou grato pelo dom da vida, por me dares paz, amor, amigos, renda e uma família tão especial. Obrigado meu Deus, perdoa os meus pecados, livra-me de todos os males, não me deixes cair em tentação e dai-me a vida eterna.
     Obrigado Senhor por tua misericórdia!  Proteja os meus familiares e amigos, cubra- nos com Teu manto e nos revista com o Teu poderoso sangue. Obrigado Deus!

O Casamento na Bíblia

Por Rafael Jácome


O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE CASAMENTO

Gn 2:18-24 - O casamento é idéia de Deus;

Gen 24:58-60 - Compromisso é essencial para um casamento de sucesso;

Prov 05:18 - Casamento  detém momentos de grande alegria;

Romântico 4: 9-10 - canção é importante;

Mal 2:14-15 O casamento é o melhor ambiente para criar os filhos

Mat infidelidade 05:32 quebra o vínculo de confiança, a fundação de todas as relações

Mat 19:06 - Casamento é permanente;

Rm 7:2-3 - morte Apenas deve dissolver o casamento

Ef 5:21-33 Casamento é baseada na prática de princípios de amor,
não em sentimentos

Ef 5:23-32 casamento é um símbolo vivo de Cristo e da Igreja

Hebreus 13:04 O casamento é bom e honrado
10

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

66 em 1 é igual a Bíblia

Por Rafael Jácome


    A Bíblia pode ser parecido com um livro, mas na verdade são 66 em 1. Trinta e nove livros compõem o que chamamos de Velho Testamento, e 27 compõem o Novo Testamento. Deus usou muitos autores - Isso faz com que cada livro seja único. Mas mesmo que cada livro tenha o  seu próprio estilo e caráter, cada um contribui para a mensagem de Deus de mudança de vida. Qual é a mensagem? Através da Bíblia, Deus deixa claro que ele nos ama e tem um plano para salvar-nos do poder destrutivo do pecado. Leia a Bíblia!

O Verdadeiro Ensinamento

Por Rafael Jácome

      Em 2 Timóteo 3:16-17, o apóstolo Paulo lembrou ao seu aluno, Timóteo, que "Toda a Escritura é inspirada por Deus e é útil para nos ensinar o que é verdadeiro e para nos fazer perceber o que está errado em nossas vidas. Ela nos corrige quando estamos errados e nos ensina a fazer o que é certo. Deus usa para preparar e equipar o seu povo para fazer toda boa obra." Isso ainda é verdade hoje em dia, apesar de ter sido escrita centenas de anos atrás. Sua mensagem é atemporal, pessoal e poderosa, porque vem de Deus. Milhões de pessoas já descobriram que a Bíblia fala de suas necessidades mais profundas, e as pessoas de todo o mundo se voltam para ela por saber que encontram palavras de conforto e de encorajamento, de esperança, inspiração e orientação de Deus. Nela, assim como eu, eles encontram respostas satisfatórias às perguntas mais intrigantes da vida e de problemas difíceis.
      A Bíblia, no entanto, é mais do que apenas uma resposta para os problemas da vida, também é feita de aventuras emocionantes, histórias inspiradoras, poesia bonita, mensagens de condenação, e a história de vida e de esperança dada por Jesus Cristo.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

A Importância da Bíblia na minha e na sua vida

Por Rafael Jácome


        Nós temos em nossas mãos o livro mais poderoso já escrito na humanidade. Muitas vidas foram alteradas por ele. Numerosas autoridades tentaram proibi-lo. Algumas pessoas ímpias e insanas queimaram-o. E muitos cristãos morreram para preservá-lo. Por que este livro teve um impacto tão grande nas pessoas? Porque este livro, a Bíblia, é a palavra de Deus. Ele veio do próprio Deus - ele é o autor. Durante centenas de anos, escolheu certos indivíduos para escrever exatamente o que ele queria dizer a humanidade. Este processo é chamado de "inspiração". Um dos seguidores mais próximos de Jesus, Pedro, escreveu: "Acima de tudo, você deve perceber que nenhuma profecia da Escritura nunca veio própria compreensão do profeta, ou a partir de iniciativa humana. Não, esses profetas eram movidos pelo Espírito Santo, e falavam de Deus "(2 Pedro 1:20-21).

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Martin Luther King Jr

Por Rafael Jácome
 
      Na década de 50 a partir de 1955/56 movimentos liderados por Martin Luther defendiam os direitos civis dos negros e dos excluídos, combatendo as injustiças e o racismo na sociedade norte americana. Em 1957 foi criada a Conferência Sulista de Liderança Cristã, que funcionou como organizadora das campanhas de desobediência civil, a qual transformou-se numa poderosa força política, com ações diretas e sem violência contra a discriminação racial. Esta forma de luta encontrada por Marin Luther e seus seguidores, foi um exemplo radical de combater o Estado sem as suas armas, mas com a "não violência".
 
      Martin Luther deixou claro em um de seus depoimentos: "Quando um cão policial enterrava suas presas na canela de uma criancinha de Birmingham, fazia-o na canela de todo americano. O sino da desumanidade do homem para com o homem não dobrará por nenhum homem especial, mas por qualquer homem. Dobra por você, por mim, por todos nós".
 
      Foi com este comportamento reto, convicto e disciplinado, que resistiram à agressão física e mentalmente, controlando o medo, a raiva e o ódio contra as ações retaliadoras do Estado. Era a política do ser ofendido sem querer vingança, ser surrado sem reagir ou fugir. As cadeias foram entupidas de negros e muitos se ofereciam para ir às prisões. Sem alternativas o Estado teve que ceder o seu papel de perseguidor e discriminador. A política dominante da exclusão rendeu-se na conquista da Lei dos Direitos Civis de 1964, que  tornou ilegal a discriminação racial em instalações como restaurantes, hotéis, lanchonetes, postos de gasolina e demais garantias para os negros norte americanos.

    

     

O Touro e o Homem

Contos Tradicionais do Brasil para Crianças


      Um touro, que vivia nas montanhas, nunca tinha visto o homem. Mas sempre ouvia dizer por todos os animais que era ele o animal mais valente do mundo. Tanto ouviu dizer isto que, um dia, se resolveu a ir procurar o homem paara saber se tal dito era verdadeiro.
 
      Saiu das brenhas, e, ganhando uma estrada, seguiu por ela. Adiante encontrou um velho que caminhava apoiado a um bastão.
      Dirigindo-se a ele perguntou:
      - Você é o bicho homem?
      - Não! - respondeu o velho - já fui, mas não sou mais!
      O touro seguiu e adiante encontrou uma velha:
      - Você é o bicho homem?
      - Nâo! sou a mãe do bicho homem!
      Adiante encontrou um menino:
      - Você é o bicho homem?
      - Não! Ainda hei de ser, sou o filho do bicho homem.
      Adiante encontrou o bicho homem que vinha com bacamarte no ombro.
      - Você é o bicho homem?
      - Está falando com ele!
      - Estou cansado do ouvir dizer que o bicho homem é o mais valente do mundo, e vim procurá-lo para saber se é mais do que eu!
      - Então, lá vai! - disse o homem, armando o bacamarte, e disparando-lhe um tiro nas ventas.
      O touro, desesperado de dor, meteu-se no mato e correu até sua casa, onde passou muito tempo se tratando do ferimento.
      Depois, estando ele numa reunião de animais, um lhe perguntou:
      - Então, camarada touro, encontrou o bicho homem?
      - ah! Meu amigo, só com um espirro que ele me deu na cara, olhe em que estado fiquei!
 
 
Este conto é popularíssimo em todo o norte do Brasil. Ocorre com outros animais, como a raposa ou o lobo, nas tradições orais da Alemanha, Estônia, Finlândia, Lapônia, Dinamarca, e entre os negros norte americanos.
     

A Boneca

Por Olavo Bilac


Deixando a bola e a peteca
Com que inda há pouco brincavam,
Por causa de uma boneca,
Duas meninas brigavam.
 
Dizia a primeira: "É minha!"
- "É minha!" a outra gritava;
E nenhuma se continha,
Nem a boneca largava.
 
Quem mais sofria (coitada!)
Era a boneca. Já tinha
Toda a roupa estraçalhada,
E amarrotada a carinha.
 
Tanto puxaram por ela,
Que a pobre rasgou-se ao meio,
Perdendo a estopa amarela
Que lhe formava o recheio.
 
E, ao fim de tanta fadiga,
Voltando à bola e à peteca,
Ambas, por causa da briga,
Ficaram sem a boneca...
 
O poeta Olavo Bilac (1865 - 1918) nasceu e viveu no Rio de Janeiro. Sua maior vocação foi a poesia, mas foi também ótimo cronista e conferencista. Bilac possui uma grande obra infantil, escrita no início do século XX. Engajou-se em muitas campanhas cívicas, entre as quais a difusão do ensino primário. Foi pioneiro na criação de poesias infantis, no Brasil.

domingo, 20 de janeiro de 2013

O Véu do Templo se Rasga

Por Rafael Jácome
 
    O Lugar Santo era separado por uma cortina grossa, larga como a palma de uma mão. Ela tinha cerca de 18 metros de altura e pouco mais de 9 metros de largura, usando imagens de querubins(criaturas celetiais aladas).
   
    No momento da morte de Jesus o véu se rasga e simboliza que, através de Sua morte, Ele estabelece o "caminho" ou livre acesso a Deus (eu sou o caminho, a verdade e a vida).

 

O Sumo Sacerdote


 Por Rafael Jácome
 
    O grande mediador entre Deus e o homem era o Sumo Sacerdote. Era obrigação dele fazer a expiação por todas as pessoas, levando o sangue do animal inocente para o Santo dos Santos uma vez por ano. O primeiro sumo sacerdote foi Arão, e todos que viriam depois dele tinham de ser de sua linhagem. A necessidade de haver um sumo sacerdote era lembrar as pessoas de que elas não podiam vir a Deus sem um mediador. Arão prenunciou o sumo sacerdote definitivo, jesus, que se ofereceu como expiação por todos os pecados.


O PEITORAL

    O Peitoral (ou Couraça) era feito de fino linho bordado em ouro, azul, púrpura e vermelho. Um bolso de 23 cm2 exibia doze pedras preciosas - cada uma gravada com o nome de uma das tribos de Israel.

Fonte: Bíblia GLOW

sábado, 19 de janeiro de 2013

O Menorá, um Candelabro de Ouro

Por Rafael Jácome
 
Um Candelabro de ouro, chamado de Menorá, era um dos objetos que Deus ordenou fosse colocado no Lugar Santo, no tabernáculo. A Menorá era feita de ouro e tinha sete lâmpadas que permanecessem acesas continuamente (noite e dia -Ex 27.21). 1 Sm 3.3 cita a lâmpada de Deus acesa, que é a Minorá retratada nas fotos.







 

Quem eu sou?

Por Pedro Bandeira


Eu às vezes não entendo!
As pessoas têm um jeito
De falar de todo mundo
Que não deve ser direito.

Em cada lugar que eu vou,
Na escola, na rua também,
Ouço dizerem assim,
Quando se fala de alguém:
- Você conhece fulano,
Que chegou de uma viagem?
- O pai dele é muito rico,
Tem dois carros na garagem!
- E o Maneco, lá do clube?
Pensa que é rico também?
Precisa ver que horrível
É o tênis que ele tem!

 Aí eu fico pensando
Que isso não está bem.
As pessoas são quem são,
Ou são o que elas têm?
Eu queria que comigo
Fosse tudo diferente.
Se alguém pensasse em mim,
Soubesse que eu sou gente.
Falasse do que eu penso,
Lembrasse do que eu falo,
Pensasse no que eu faço,
Soubesse por que me calo!

Porque eu não sou o que visto.
Eu sou do jeito que estou!
Não sou também o que eu tenho.
Eu sou mesmo quem eu sou!


Pedro Bandeira – Nascido em Santos, São Paulo, em 1942, mudou-se para a cidade de São Paulo em 1961. Trabalhou em teatro profissional como ator, diretor e cenógrafo. Foi redator, editor e ator de comerciais de televisão. A partir de 1983 tornou-se somente escritor. Sua obra, direcionada a crianças e jovens, recebeu diversos prêmios, como Jabuti, APCA, Adolfo Aizen e Altamente Recomendável, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.

Vai já pra dentro, menino!

Por Pedro Bandeira

Vai já pra dentro, menino!
Vai já pra estudar!
É sempre essa lengalenga
Quando o que eu quero é brincar...
 Eu sei que aprendo nos livros,
Eu sei que aprendo no estudo,
Mas o mundo é variado
E eu preciso saber tudo!
Há tanto pra conhecer,
Há tanto pra explorar!
Basta os olhos abrir,
E com  o ouvido escutar.
Aprende-se o tempo todo,
Dentro, fora, pelo avesso,
Começando pelo fim,
Terminando no começo!
Se eu me fecho lá em casa,
Numa tarde de calor,
Como eu vou ver uma abelha
A catar pólen na flor?
Como eu vou saber da chuva,
Se eu nunca me molhar?
Como eu vou sentir o sol,
Se eu nunca me queimar?
 Como eu vou saber da terra,
Se eu nunca me sujar?
Como eu vou saber das gentes,
Sem aprender a gostar?
 Quero ver com os meus olhos,
Quero a vida até o fundo,
Quero ter barro nos pés
Eu quero aprender o mundo!
Pedro Bandeira – Nascido em Santos, São Paulo, em 1942, mudou-se para a cidade de São Paulo em 1961. Trabalhou em teatro profissional como ator, diretor e cenógrafo. Foi redator, editor e ator de comerciais de televisão. A partir de 1983 tornou-se somente escritor. Sua obra, direcionada a crianças e jovens, recebeu diversos prêmios, como Jabuti, APCA, Adolfo Aizen e Altamente Recomendável, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.

A Vivência da Palavra de Deus

Por Rafael Jácome


Alguma vez você já abriu sua Bíblia e perguntou o seguinte:
O que esta passagem realmente significa?
Como isso se aplica à minha vida?
Por que alguns fatos da Bíblia parecem irrelevantes?
O que essas culturas antigas têm a ver com os dias de hoje?
Eu amo a Deus: por que não posso entender o que ele está me dizendo através de sua Palavra?
O que está acontecendo na vida dessas pessoas da Bíblia?
Muitos cristãos não lêem a Bíblia regularmente. Por quê? Porque nas pressões da vida diária, eles não podem encontrar uma ligação entre os princípios eternos da Escritura e os problemas sempre presentes do cotidiano.
Deus exorta-nos a aplicar a sua Palavra (Isaías 42:, 1 Coríntios 10:11, 2 Tessalonicenses 3:4), mas muitas vezes nós paramos em querer acumular conhecimento bíblico. É por isso que a vivência da Palavra é importante - para mostrar como colocar em prática o que aprendemos nas leituras bíblicas.
Aplicando a Sua Palavra  é uma parte vital de um grande relacionamento com Deus, é a prova de que estamos obedecendo a Ele. A dificuldade em aplicar a Bíblia não é com a própria Bíblia, mas com a incapacidade do leitor para realizar a ponte entre o passado e o presente, o conceitual e o prático. Quando não faz ou não pode com isso, aridez espiritual, superficialidade e a indiferença são os resultados.
A palavra da própria Escritura grita para nós: "E lembre-se, é uma mensagem para obedecer, e não apenas para ouvir. Se você não obedecer, você está apenas enganando a si mesmo" (Tiago 1:22).

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Dia do Fico

Por Rafael Jácome
 
 
     Lembro-me das aulas de história na quinta série, quando os professores de história do Brasil destacavam as datas festivas do país. O Dia do Fico (9 de janeiro) era uma das que eu mais gostava. Ficou famosa a frase proferida por D. Pedro, constituindo um dos mais importantes passos no caminho para a independência do Brasil, que acabaria sendo proclamada com o grito do Ipiranga alguns meses depois.
     Ao optar em permanecer no Brasil, D. Pedro que era Príncipe Regente, contrariou toda Corte Portuguesa e ao invés de voltar para Lisboa como havia exigido, decidiu ficar no país. A partir de então a frase de D. Pedro ficou na história. Isto aconteceu no dia 9 de janeiro de 1822, eis a frase:
 "Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, estou pronto! Digam ao povo que fico".
      A frase foi dita após ter recebido um documento com 8 mil assinaturas, pedindo que ele ficasse. As assinaturas foram recolhidas pelos liberais radicais, que, juntamente com o Partido Brasileiro, já vinham tentando manter a autoridade do Brasil. Com esta atitude, meses depois o Brasil tornou-se independente.

As Palavras de Agur

Extraído do Livro de Provérbios
 

Pv.30.1 Palavras de Agur, filho de Jaque, o oráculo. Disse este varão a Itiel, a Itiel e a Ucal:
Pv.30.2 Na verdade, que eu sou mais bruto do que ninguém; não tenho o entendimento do homem,
Pv.30.3 nem aprendi a sabedoria, nem tenho o conhecimento do Santo.
Pv.30.4 Quem subiu ao céu e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Quem amarrou as águas na sua roupa? Quem estabeleceu todas as extremidades da terra? Qual é o seu nome, e qual é o nome de seu filho, se é que o sabes?
Pv.30.5  Toda palavra de Deus é pura; escudo é para os que confiam nele.
Pv.30.6 Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda, e sejas achado mentiroso.
Pv.30.7  Duas coisas te pedi; não mas negues, antes que morra:
Pv.30.8 afasta de mim a vaidade e a palavra mentirosa; não me dês nem a pobreza nem a riqueza; mantém-me do pão da minha porção acostumada;
Pv.30.9 para que, porventura, de farto te não negue e diga: Quem é o SENHOR? Ou que, empobrecendo, venha a furtar e lance mão do nome de Deus.
Pv.30.10  Não calunies o servo diante de seu senhor, para que te não amaldiçoe e fiques culpado.
Pv.30.11 Há uma geração que amaldiçoa a seu pai e que não bendiz a sua mãe.
Pv.30.12  Há uma geração que é pura aos seus olhos e que nunca foi lavada da sua imundícia.
Pv.30.13 Há uma geração cujos olhos são altivos e cujas pálpebras são levantadas para cima.
Pv.30.14  Há uma geração cujos dentes são espadas e cujos queixais são facas, para consumirem na terra os aflitos e os necessitados entre os homens.
Pv.30.15 A sanguessuga tem duas filhas, a saber: Dá, Dá. Estas três coisas nunca se fartam; e quatro nunca dizem: Basta:
Pv.30.16 a sepultura, a madre estéril, a terra, que se não farta de água, e o fogo, que nunca diz: Basta.
Pv.30.17  Os olhos que zombam do pai ou desprezam a obediência da mãe, corvos do ribeiro os arrancarão, e os pintãos da águia os comerão.
Pv.30.18  Há três coisas que me maravilham, e a quarta não a conheço:
Pv.30.19 o caminho da águia no céu, o caminho da cobra na penha, o caminho do navio no meio do mar e o caminho do homem com uma virgem.
Pv.30.20 Tal é o caminho da mulher adúltera: ela come, e limpa a sua boca, e diz: Não cometi maldade.
Pv.30.21  Por três coisas se alvoroça a terra, e a quarta não a pode suportar:
Pv.30.22 pelo servo, quando reina; e pelo tolo, quando anda farto de pão;
Pv.30.23 pela mulher aborrecida, quando se casa; e pela serva, quando fica herdeira da sua senhora.
Pv.30.24  Estas quatro coisas são das mais pequenas da terra, mas sábias, bem providas de sabedoria:
Pv.30.25 as formigas são um povo impotente; todavia, no verão preparam a sua comida;
Pv.30.26 os coelhos são um povo débil; e, contudo, fazem a sua casa nas rochas;
Pv.30.27 os gafanhotos não têm rei; e, contudo, todos saem e em bandos se repartem;
Pv.30.28 a aranha, que se apanha com as mãos e está nos paços dos reis.
Pv.30.29  Há três que têm um bom andar, e o quarto passeia muito bem:
Pv.30.30 o leão, o mais forte entre os animais, que por ninguém torna atrás;
Pv.30.31 o cavalo de guerra, bem cingido pelos lombos; o bode também; e o rei, a quem se não pode resistir.
Pv.30.32  Se procedeste loucamente, elevando-te, e se imaginaste o mal, põe a mão na boca.
Pv.30.33 Porque o espremer do leite produz manteiga, e o espremer do nariz produz sangue, e o espremer da ira produz contenda.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

O Poder É Uma Armadilha

Por Rafel Jácome


“Digam aos senhores de Siquém: ‘O que é melhor para vocês? Que setenta homens, os filhos de Jerobaal, governem vocês, ou que um só os governe? E lembre-se de que eu sou do mesmo sangue de vocês” ()

    Toda corrida pelo  poder tem o  seu processo inicial nos dicursos irônicos e individualizados dos tiranos que pretendem convencer o povo. O teor é igual na busca de persuadir as comunidades de que o poder centralizado é melhor do que o poder participativo. O poder se constitui a partir da entrega simbólica da liberdade do povo através da oferta em dinheiro, onde é usado para derrotar os concorrentes e estabelecer uma autoridade única e centralizadora.

    Em todos os momentos históricos da humanidade os governantes  instauraram políticas déspotas em detrimento da vontade popular. As pessoas em diversas ocasiões aceitam o dito popular que “somente aquele que nada produz é que se presta para exercer o poder”, mas, na realidade a segurança que ele oferece não passa de uma armadilha contra a liberdade do povo, que no final paga um preço alto pelas consequências nefastas de suas próprias decisões.

     Neste trecho bíblico vemos claramente a prepotência de Abimelec em buscar o poder. Para tanto, seu discurso ideológico fez com que os senhores de Siquém concordassem com a forma que ele chegou ao governo, matando os setenta filhos de Jerobaal. A sua administração foi marcada por injustiças e com iniciativas de contínuas armadilhas e perseguições.

      Assim como nos dias atuais montar um projeto político de uma administração baseada no bem estar social, constituindo uma nova sociedade e um processo histórico baseado num mundo mais justo e igualitário, não se realiza de uma hora para outra. O primeiro passo é saber escolher e fiscalizar as ações governamentais, não deixando os interesses pessoais prevalecerem aos interesses coletivos.

     Na Bíblia encontramos vários ensinamentos que a eficácia da luta de um povo depende da presença de Deus que abençoa e dá a vitória, porque essa luta é expressão do seu projeto. É importante ressaltar que Deus está ao lado do povo quando a busca é pela liberdade e vida para todos. Quando não existe esse sentimento, Ele se retira, pois não é joguete nas mãos dos homens, pelo contrário, quando isso ocorre Ele entrega o povo às consequências de seus próprios caprichos.